Sempre quando pensamos em múmias, o Egito vem até as nossas cabeças. Parece que nossa mente está programada para acreditar que só existem corpos mumificados naquela região. No entanto, é claro que isso não é verdade. Pelo mundo inteiro, por milhares de anos, as pessoas tentaram encontrar maneiras de preservar os corpos de seus entes queridos mortos. O Brasil parece que só deixou essa ficha cair depois da tragédia que foi o incêndio no Museu Nacional. Lá tínhamos vários corpos mumificados, além de milhões de artefatos históricos, raros e de valor imensurável para o conhecimento humano.

Além dos corpos que foram mumificados devido a tradições locais e culturais, há aquelas pessoas que morreram e foram “acidentalmente” mumificadas pela força da natureza. Se você tiver isso em mente, irá compreender que podem ser encontradas múmias em qualquer lugar do mundo (e não apenas nas pirâmides). Cientes de que provavelmente você não escutou falar dessas múmias na escola ou no museu mais próximo da sua casa, listamos 7 corpos mumificados mais fascinantes que não foram descobertos no Egito para matar a sua curiosidade.

1 – Homem de Tollund

O homem de Tollund foi descoberto na Dinamarca em 1950. Ele foi encontrado em um turfeira, com corpo e órgãos conservados. Descobriu-se que ele morreu há mais de 2 mil anos, e quase todas as evidências apontam que foi devido a um enforcamento. Sua língua estava protuberante e havia marcas em volta do seu pescoço. Embora o seu corpo tenha se decomposto depois de ser retirado do pântano, a cabeça foi cuidadosamente preservada. Você pode visitá-lo no Museu Silkeborg.

2 – Xin Zhui

Xin Zhui pertencia a uma dinastia nobre da China antiga e morreu em 163 a.C. com cerca de 50 anos de idade. Seu corpo foi descoberto em 1970 em uma câmara funerária, com mais de 1.000 objetos preciosos. Ela é uma das múmias da China mais preservadas já encontradas. Ela está em tão bom estado de conversação que até as suas articulações são capazes de se dobrar. Seu estado é tão perfeito que ela está sendo usada como objeto de estudo do Museu de Hunan. Eles estão tentando encontrar a maneira perfeita de preservar corpos humanos.

3 – La Doncella

Em 1999, foi encontrado o corpo mumificado de uma menina em Monte Llullaillaco, na Argentina. Ela foi encontrada encolhida, com os braços cruzados, e ao lado de um menino e uma menina mais novos do que ela. Devido ao fato de estarem congelados no cume da montanha, elas estavam muito bem conservadas. Tudo indica que ela morreu em um sacrifício inca, que costuma sacrificar crianças, deixando-as morrer congeladas no topo das montanhas. Apesar de ser bizarro e estranho, era considerado uma honra e nobreza para a criança ser sacrificada.

4 – Vladimir Lenin

Vladimir Lenin (esse mesmo que veio a sua cabeça) morreu em 1924, porém, o seu corpo continua sendo exposto publicamente em uma tumba em Moscou. Ele é a todo momento monitorado cuidadosamente por cientistas e mantido em uma temperatura e umidade ideais em um recipiente de vidro hermeticamente fechado para evitar que seu cadáver se decomponha. O Mausoléu de Lenin divide opiniões e costuma gerar debates sobre a validade de deixá-lo exposto.

5 – Rosalia Lombardo

Rosalia Lombardo morreu em 1922 com apenas dois anos de idade, decorrente de uma pneumonia. Devido a uma decisão de seu pai oficial, ela foi embalsamada e preservada. A múmia italiana é tão bem preservada que costuma ser chamada de “A Bela Adormecida”. Seu corpo é mantido em um caixão de vidro nas catacumbas capuchinhas em Palermo. Ela ganhou uma reputação assustadora depois que repararam que em diferentes pontos do dia, ela variava entre olhos abertos e olhos fechados. Porém descobriu-se que isso é mentira, e que a impressão dessa variação é causada pela iluminação que muda a forma como se encara os olhos semi-abertos dela.

6 – John Torrington

John Torrington era um oficial inglês do século 19 que estava em uma missão no Circulo Polar Ártico. Ele morreu com 22 anos devido ao envenenamento com chumbo. Ele foi enterrado ao lado de três companheiros em caixões cheios de gelo. Ele foi desenterrado nos anos 1980 e percebeu-se que apesar do rocheado, ele estava em perfeito estado de conservação.

7 – Saint Bernadette

Saint Bernadette é uma múmia que tem origem na França desde a Era Vitoriana. Bernadette morreu em 1879 devido a tuberculose, e foi santificada devido aos milagres associados a ela na época em que era viva. Depois de três vezes exumada, ela foi declarada pela igreja católica incorruptível, e foi então muito bem preservada e mumificada. Ela até hoje pode ser vista por qualquer visitante na Capela de Saint Gildard, na França.

E aí, curtiu essas múmias preservadas não egípcias? Conhece outras tão interessantes quanto essas aqui? Comenta com a gente e compartilha essa lista nas suas redes sociais.

Fonte

Deixe uma resposta