Você já parou para se perguntar, o que uma freira pode ou não fazer? Renunciando sua vida comum em sociedade, as freiras passam a ofertar toda a sua vida para os serviços religiosos e para os trabalhos da igreja. Mas, o que vem depois? Com essas e outras dúvidas, separamos 7 fatos misteriosos sobre a vida secreta das freiras.

Mas afinal, o que é verdade e o que é mito? Será que todas as freiras da história são voluntariamente dedicadas? O que faz alguém abandonar tudo, para escolher seguir plenamente os ensinamentos de Cristo? O que será que não é tão aparente na vida em que levam?

1 – Suas vestes

Não há nenhum padrão de roupas, para além de suas vestes. De fato, freiras mais modernas podem usar camisetas, tênis ou ainda, podem optar por não ter nenhuma roupa, por baixo de suas vestes. Com isso, o traje vai depender da ocasião e da congregação da freira, em questão.

2 – Ser freira já foi muito perigoso

No anos 1850, não era tão simples ser uma freira nos Estados Unidos. Tudo porque o partido “Sabe Nada” (Know Nothing) era um grupo anti-católico e anti-imigrante, que praticava uma série de atos de violência contra fiéis católicos. E claro, religiosos e freiras também não escapavam da violência da época.

 3 – Uma vida fechada

As associações entre “freiras” e uma “vida enclausurada” nem sempre foram uma exigência para a igreja. Dessa forma, somente em 1298, com o decreto do Papa Bonifácio VIII, todos os conventos passaram a ser afastados do mundo secular. Contudo, até a medida entrar em vigor, a decisão foi motivo de muita discussão.

4 – Intolerância na congregação

No início do século 19, freiras negras eram excluídas da ordem pelas próprias “irmãs”. De fato, elas só podiam “deixar tudo e seguir Cristo”, caso se passassem por brancas ou fizessem as próprias ordens. Com isso, Nellie Morgan foi a primeira mulher negra, que se tornou freira. No entanto, ninguém facilitou sua vida para a entrada no convento, e por fim, ela precisou se misturar entre as freiras brancas, mas acabou tendo que sofrer muito preconceito para isso.

5 – Mais ouvida que os Beatles e Elvis

Na década de 1960, Elvis Presley perdeu a primeira posição nas paradas de sucesso para uma freira, chamada Irmã Sorriso. Também conhecida como Jeanine Deckers, a cantora conseguiu o feito com sua música Dominique. A canção chegou a desbancar Elvis Presley e The Beatles, no US Billboard Top 100, em 1963, ficando com o 1º lugar.

6 – Freiras que cultivam maconha

Entre as mais diversas congregações de freiras, muitas delas não servem à Igreja Católica, ou ainda, ao próprio cristianismo. Dessa forma, duas freiras nos Estados Unidos dizem não serem “afiliadas a nenhuma religião terrena tradicional”. Contudo, são mais conhecidas pelas plantações de maconha que possuem no quintal de casa. Atualmente, as duas pertencem à organização “Sisters of the Valley”, na Califórnia.

7 – O Segredo de Fátima

Em 1917, Nossa Senhora apareceu na cidade de Fátima, em Portugal, para três “pastorzinhos”. Eram eles Lúcia, Francisco e Jacinta. Depois disso, Nossa Senhora fez três revelações que, posteriormente, ficariam conhecidas como “O Segredo de Fátima”. Contudo, Lúcia, que se tornaria irmã, seria a responsável por cuidar das revelações.

Dois dos segredos foram revelados na década de 1940. Primeiro, as crianças viram uma visão aterrorizante do inferno. Demônios e almas humanas habitavam “um grande mar de fogo que parecia estar debaixo da terra”, nas palavras de Irmã Lúcia. Depois disso, a segunda revelação foi interpretada como uma profecia do fim da Primeira Guerra Mundial e o início de uma nova.

Por fim, o terceiro segredo só seria revelado no ano 2000, pelo Papa João Paulo II. Nele, está descrito que o Papa e vários outros sacerdotes atravessariam uma grande cidade e seriam mortos por uma arma de fogo. Dessa forma, essa revelação é interpretada como um sinal do atentado de 1981, contra João Paulo II.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Please enter your name here