Hoje, há um palmo da sua mão, existem milhões de músicas disponíveis para serem escutadas a qualquer momento. A apreciação pode passar por todos os gêneros, desde o funk até a música clássica, ou qualquer outro estilo que lhe passe pela cabeça. Pagode, axé, gospel, marchinha, rock, metal, romântica, balada, tango, samba, bossa nova, MPB, pop, eletrônica e muito mais, tudo guardado em um sistema de Streaming Musical. Tanta liberdade, nos faz esquecer que nem sempre poderiam circular por aí todas as músicas existentes.

Durante o período militar no Brasil, que começou em 1964 e terminou em 1985, o governo cercou muitas formas de expressão cultural e popular na sociedade. Na prática, era uma tentativa de bloquear toda forma de critica e opinião negativa contra a administração militar. Os famosos censores, censuraram várias músicas que hoje consideramos clássicas, e parte da cultura musical brasileira. Você sabe algumas delas de cabeça? Não tem problema, segura na minha mão e vem ver 7 músicas brasileiras que foram proibidas.

1 – Cruel, Cruel Esquizofrenético Blues (Blitz)

O disco “As Aventuras da Blitz”, de 1982, vendeu mais de 300 mil cópias. Era o início do sucesso da banda Blitz, que reinventaria o rock nacional na década de 1980. Mesmo com tamanho sucesso, e com a Ditadura com os dias contados, duas faixas do disco foram vetadas pelos censores. “Cruel, cruel esquizofrênico blues” e “Ela Quer Morar Comigo na Lua”, foram vetadas mesmo depois da primeira prensagem do disco já ter sido fabricado. A primeira por conter um palavrão, e a segunda por cantar a palavra “bundando”.

2 – Vaca profana (Gal Costa)

Vaca Profana é uma música criada por Caetano Veloso, que inicialmente foi interpretada por Gal Costa. Já em 1984, no final da ditadura, ela foi vetada pela censura. Segundo a Divisão de Censura de Diversões Públicas, a letra de Caetano feria a moral e os bons costumes em seus versos semi-pornográficos.

3 – Sociedade Alternativa (Raul Seixas)

Pouca gente sabe, mas Raul Seixas – e Paulo Coelho – foram detidos pela polícia por causa da música Sociedade Alternativa. A ditadura achou que a música era uma convocação aos “rebeldes”, que queriam buscar uma sociedade alternativa, aquela governada pelos militares. A música foi proibida de ser tocada em vários shows do cantor.

4 – Tiro ao Álvaro (Adoniran Barbosa)

A justificativa para a proibição da clássica canção “Tiro ao Álvaro”, do sambista paulista Adoniran Barbosa, era por conta dos supostos “erros” de pronúncia e de português na letra: “Tauba”, “artomórve”, “revorve”. O que o sambista estava fazendo era um claro recurso poético, utilizado desde os modernistas do início do século, de assumir a coloquialidade da fala popular em uma letra de música.

5 – Apesar de você (Chico Buarque)

Chico enviou Apesar de Você à censura fingindo tratar-se de uma canção sobre uma relação que terminava, mas tendo certeza de que seria vetada. A música, na verdade, falava do descontentamento com a situação política. Para sua surpresa, inicialmente a letra foi aceita e a música foi lançada, alcançando grande sucesso. Quando a canção se tornou mania, alcançando status de hino de esperança e resistência contra a ditadura, foi que a censura percebeu o sentido real e proibiu a canção.

6 – Alegria, alegria (Caetano Veloso)

A música Alegria, Alegria foi lançada em 1967, por Caetano Veloso. A letra valorizava a ironia, a rebeldia e o anarquismo. Além disso, a letra também critica o abuso do poder e da violência, as más condições do contexto educacional e cultural estabelecido pelos militares, aos quais interessava formar brasileiros alienados. A letra deixa isso tudo bem claro, sem nenhum tipo de disfarce para velar sua real intenção. Claramente, foi vetada pela ditadura.

7 – Mosca na Sopa (Raul Seixas)

Mosca na sopa foi lançada em 1973. A letra faz uma referência à ditadura militar, através de uma metáfora: o povo é a “mosca e a ditadura milita é “a sopa”. Desta forma, o povo é apresentado como aquele que incomoda, que não pode ser eliminado, pois sempre vão existir aqueles que se levantam contra regimes opressores. Resultado: Raul conseguiu briga com a ditadura, chegando a sair do Brasil um tempo depois.

E aí, o que você achou dessa matéria? Comenta aqui com a gente e compartilha nas suas redes sociais. Para você que adora todas essas músicas, aquele abraço.

Fonte

Deixe uma resposta