Carros são veículos motorizados com rodas, que são usados para o transporte. Os carros se popularizaram em um nível global no século XX, e as economias foram desenvolvidas com bastante dependência deles. E foi em 1886, que o nascimento do carro moderno aconteceu. Foi nesse ano, que Karl Benz patenteou seu Benz Patent-Motorwagen.

Um dos primeiros carros, que foram acessíveis às massas, foi o 1908 Model T, que foi um carro americano, fabricado pela Ford Motor Company. A Ford, até os dias de hoje, continua sendo uma grande e reconhecida marca de carros.

No entanto, a empresa divulgou um comunicado dizendo que irá encerrar a produção das suas fábricas em Camaçari (BA) e Tatuapé (SP) esse ano. Além disso, as  atividades de Horizonte (CE) também serão suspensas. Antes desse anúncio, a Ford já tinha anunciado o fechamento da sua fábrica em São Bernardo do Campo (SP).

A empresa disse que essa decisão está relacionada com a crise causada pela pandemia do coronavírus. Ela fez com que a diminuição nas vendas resultasse em perdas significativas.

Encerramento

A produção em Camaçari e Tatuapé foi encerrada e se manteve apenas a fabricação de peças. Essa fabricação será feita durante alguns meses para garantir a disponibilidade dos estoques pós-venda.

Mas quais são as consequências imediatas disso? A primeira delas, e a mais grave, é a perda de cinco mil postos de trabalhos diretos. Por exemplo, os fornecedores de peças vão ter prejuízos e terão que direcionar sua produção para outros fabricantes. Isso se eles conseguirem fazer isso.

Além disso, a rede de concessionárias também será prejudicada. Até porque não faz sentido mantê-la  apenas para prestar assistência aos clientes e vender produtos importados.

Tudo isso cria um cenário desanimador para os consumidores que tem um carro da Ford. De acordo com a empresa, ela venderá as unidades do Ka, Ka Sedan e EcoSport que ainda estão em estoque. Contudo, quem terá a coragem de comprar qualquer um deles depois do anúncio da montadora?

Motivos

Outro ponto é o mercado de carros usados. Ele por si só já é bem cruel e costuma desvalorizar muito os modelos fora de produção. E existe uma chance grande de isso acontecer com os modelos da Ford.

No mercado brasileiro, a Ford já não ia bem há um tempo. A sua participação e queda vem acontecendo desde 2016. Em 2020, ela ficou em quinto lugar no ranking das montadoras. E na soma dos carros leves teve uma participação de somente 7,14%. Comparados com, a líder GM com seus 17,35%, a VW 16,80%, a Fiat 16,50% e a Hyundai 8,58%.

Tudo isso são sinais de que depois de mais de 100 anos no Brasil, a Ford está de partida. E está fazendo de uma maneira melancólica e em etapas. O conjunto de todos esses fatores são a confirmação da tragédia anunciada.

Embora esteja saindo do Brasil, as operações de manufatura na Argentina e no Uruguai, além das organizações de vendas em outros mercados da América do Sul não vão ser impactados. E por mais que a montadora sairá do Brasil, a Ford manterá a sua sede administrativa da América do Sul,  o Centro de Desenvolvimento de Produto e o Campo de Provas todos no país.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Please enter your name here