É impossível não se derreter com animais de estimação. Seja ele um gato ou um cachorro, nós simplesmente amamos a forma como eles interagem conosco. Seja esfregando seu pelo contra nossa perna ou então dando aquela lambida marota na nossa cara enquanto abanam o rabo.

Um questionamento que pega muito forte para quem ama animais, é como pode um ser humano ser capaz de fazer mal a esses bichinhos. Não estou falando apenas de bater ou matá-los, e sim também de agir com negligência.

Muitas pessoas pegam cachorros (ou até mesmo, outros animais) e agem com total omissão. Seja na hora de cuidar, deixando o animal o tempo todo preso e sem comida, ou então o soltando pelo mundo, sozinho, apenas porque envelheceu.

Os animais merecem todo o nosso amor e carinho. Por isso, a Fatos Desconhecidos trouxe até você a história de um vencedor, Zeus, que prova que todo bichinho merece, sim, uma segunda chance.

Queda de Zeus

Zeus, até os seis meses de idade, tinha um lar com cuidados e tudo mais que precisava. De um dia para o outro, ele começou a desenvolver um problema: começou a mancar. Isso levou os donos do cachorro a tomarem uma decisão cruel: se livrar dele. Eles não queriam um “cachorro defeituoso”.

A doença só piorou, e sua parte traseira ficou completamente paralisada. Eles decidiram levá-lo para um abrigo, livrando-se dele. Nesse abrigos de animais, a mortalidade dos mesmos é altíssima. Para um cachorro que manca, então, a chance de não durar nem ao menos uma semana era maior ainda. Isso porque, a chance de arranjar um novo dono era muito baixa.

Como ele não conseguia andar de forma alguma, foi colocado em um pequeno espaço, entre grades, como na imagem acima. Quem visse Zeus nesse momento de sua vida, diria que ele estava acabado. Era seu fim.

Apogeu de Zeus

Uma família resolveu ir ao abrigo escolher um cachorro. Quando viram Zeus, perceberam que se aquele cachorro ficasse ali mais um dia, seria sacrificado. Eles não pensaram duas vezes, antes de levar Zeus para casa.

Para ajudar o cão a melhorar da doença, resolveram incentivar os seus músculos. Tudo começou com a natação. A primeira vez que levaram Zeus para a piscina, o cão não conseguia nem se mover lá dentro e precisou ser apoiado nos primeiros dias. Um tempo depois, ele aprendeu a nadar e seus músculos voltaram a ficar mais fortes.

No final de cada dia, o cão era secado com uma toalha e colocado no chão, para ver se conseguia ao menos engatinhar. Apesar de não surgir efeito nos primeiros dias, com o tempo, ele aprendeu a executar o básico. Ele andava com as patas dianteiras, e arrastava as patas traseiras.

Zeus e seu “carro”!

Em certo momento, eles precisavam de uma cadeira de rodas para Zeus, então fizeram uma vaquinha online para juntar o dinheiro e fazer o objeto se tornar real. Eles conseguiram reunir o dinheiro todo em três dias.

Quando a empresa Eddie’s Wheels finalmente entregou a cadeira de rodas pronta, foi como se Zeus estivesse ligado a ela desde sempre. O cão se acostumou desde o primeiro momento, com muita intimidade.

Ele ficou andando com uma cadeira de rodas durante muito tempo. Mesmo assim, os donos ainda queriam ver ele andando, sozinho, sem a cadeira de rodas. Então eles continuaram os exercícios.

Vitória

Mesmo latindo, choramingando e ficando bravo às vezes, Zeus conseguiu melhorar cada vez mais com o passar do tempo. O cão nunca desistiu de andar de novo, e seus donos, nunca desistiram dele.

Ele venceu muito de seu problema motor, sendo que aos poucos, ele conseguiu andar de novo. Hoje em dia, ele já consegue subir escadas tranquilamente. Zeus é a prova viva, de que até os animais merecem uma segunda chance.

E aí, o que você achou dessa matéria? Comenta aqui com a gente e compartilha nas suas redes sociais. Para você que vê em Zeus um herói entre os cachorros, aquele abraço.

Fonte

Deixe uma resposta