Um fenômeno estranhamente ruim está crescendo no mundo: ataques com ácido. Desde 2012, esse tipo de crime vem aumentando drasticamente na Europa, principalmente no Reino Unido. As estatísticas da polícia local afirmam que, entre 2012 e 2013, foram registrados 183 ataques do gênero. Já entre 2016 a 2017, os casos já estavam em 503. Segundo Simon Harding, criminologista e especialista em gangues da Universidade de Middlesex, afirmou em entrevista que o ácido tem se tornado a primeira alternativa como arma.

“Lançar ácido é uma forma de demonstrar domínio, poder e controle, gerando um grande temor entre os integrantes das gangues rivais”, afirmou Harding. Trouxemos até vocês algumas histórias de mulheres que sofreram ataque com ácido na Europa. Os dois relatos a seguir foram publicados pelo site The Sun e pelo site da BBC Brasil, respectivamente. Os links das matérias você encontra ao final do texto.

Isobella Fraser

Isobella Fraser é uma modelo australiana, de 23 anos, que estava na Inglaterra quando sofreu um ataque de ácido em 2017, numa boate no país. Ela sofreu terríveis queimaduras nas costas e nos braços e sua roupa derreteu devido ao ácido. Sua irmã, Prue, que na época tinha 20 anos, também sofreu queimaduras no braço. O ataque, com ácido pulverizado em garrafa d’água, foi destinado a muitas pessoas que estavam dançando no momento. Em entrevista posterior à imprensa, ela relatou que “Eu pensei que nós estávamos sendo atacados com gás. Eu pensei que era um ataque terrorista ou algo assim. Eu estava pirando por causa de todas as coisas que estavam acontecendo”.

O ataque aconteceu depois de uma briga no local cuja qual ela pensou que estava longe o suficiente e que não ia terminar como terminou. Além das queimaduras e cicatrizes, ela contou que tinha muita dificuldade de respirar. “Poderia ter sido muito pior ou fatal, tivemos muita sorte. Trabalhar como modelo, se tivesse sido na minha cara, seria difícil conseguir trabalho”, concluiu ela.

Adele Bellis

Adele Bellis sofreu um ataque com ácido em 2014, quando o seu ex-namorado pagou alguém para deferir o ataque à ela. Adele Bellis, que hoje tem 26 anos, teve sua orelha e metade de seu cabelo queimado no ataque. Ela já fez inúmeras cirurgias de reconstrução nos últimos 4 anos. Adele estava sentada no ponto de ônibus, conversando no celular com uma amiga, quando notou a presença de um homem com roupa esportiva. “Ele usava um lenço preto em volta do rosto, cobrindo a boca. E estava dando umas corridinhas, sacudindo uma garrafa”, lembrou ela. Neste momento que ela foi atacada.

Após quatro anos, Daniel Marshall, que jogou o ácido em Adele, hoje com 40 anos, está prestes a ser libertado da prisão depois de cumprir apenas metade de sua sentença de sete anos. Já o seu ex-namorado, Anthony Riley, que ordenou o ataque, está atualmente cumprindo os 13 anos de prisão pelos quais foi condenado.

E aí, o que você achou desses relatos? Comenta com a gente e compartilha nas suas redes sociais. Abraço.

Fonte

Deixe uma resposta