Uma prática deplorável tem preocupado o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) em Petrolina. São as falsas chamadas de ocorrências para o 192. Em média, por mês, o Samu atende cerca de 2.500 chamadas. Porém, destas, cerca de 900 são trotes. Entre agosto e outubro, o número aumentou consideravelmente, mais de 1.100 trotes.

De acordo com a coordenadora de Enfermagem do Samu, Cristiane Nunes, a maioria dos trotes é feita por crianças e adolescentes, mas há também uma grande parcela de homens que ocupam as linhas para dizer palavras de baixo calão às telefonistas, prejudicando o serviço, que precisa ser ágil.

“À medida que alguém liga pro Samu e faz uma brincadeira, solicita uma ambulância e esta é liberada para um trote, impede de auxiliar quem realmente está precisando dos nossos serviços. Então, fazemos um apelo pela conscientização dos cidadãos, dos pais, que orientem seus filhos para que não tenhamos mais esse problema, que é tão prejudicial para a própria população“, diz a coordenadora do Samu.

Ainda de acordo com Cristiane, o SAMU tem procurado alertar aos cidadãos sobre os perigos dos trotes, através de palestras educativas que são feitas mensalmente em diferentes bairros da cidade. “Participamos de ações sociais que visam justamente orientar as pessoas quanto à prática dos trotes e cuidados com a saúde. Vamos iniciar o Samu nas escolas, conversando com crianças e adolescentes, e escolhemos o período próximo das férias escolares por ser o momento em que recebemos mais chamadas falsas“, explica. Vale ressaltar que passar trotes para órgãos de saúde ou de segurança pública é crime, passível de punição. Se o autor do trote for menor de idade, seus pais podem ser enquadrados. (Foto/arquivo)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Please enter your name here