Lawrence Anderson, um americano do Estado de Oklahoma, confessou recentemente ter matado sua vizinha, Andrea Lynn Blankenship. De acordo com as autoridades que investigam o caso, Anderson, além de ter assassinado Blankenship, arrancou o coração da vítima e, em seguida, cozinhou o órgão para alimentar sua família.

Segundo o The Oklahoman, Blankenship, que tinha apenas 41 anos, foi morta a facadas em sua casa, em Chickasha, no dia 9 de fevereiro. “Após assassinar a vizinha, o indivíduo fez questão de remover o coração da vítima. Em posse do órgão, Anderson retornou à sua casa, na 214 West, Minnesota, Chickasha”, escreveu um dos agentes do Departamento de Investigação do Estado de Oklahoma em um mandado de busca emitido pelo órgão.

“Ele cozinhou o coração com batatas para alimentar sua família, Anderson acreditava que após cozinhar os órgãos, ele seria capaz de libertar os demônios que o atormentam”, revelou outro agente do departamento.

Mais crimes por parte do americano

Segundo a imprensa internacional, o americano vivia com sua tia, Delsie Pye, e seu tio, Leon Pye. Além de ter assassinado a vizinha, Anderson, assim que cozinhou o coração, matou o tio, de 67 anos, e sua neta, Kaeos Yates, de 4 anos. A única que sobreviveu ao ataque do americano foi a tia.

Conforme expôs o Oklahoma Bureau of Investigation, a tia, por ter sobrevivido a violenta investida, denunciou os crimes à polícia. O americano foi preso no mesmo dia em que a denúncia foi feita.

As autoridades só descobriram o corpo de Blankenship dois dias depois da prisão. Anderson confessou os hediondos crimes, enquanto estava sendo atendido em um hospital da cidade de Oklahoma.

O americano, assim que recebeu alta, foi transferido para uma prisão do condado de Grady. Os casos seguem sendo investigados. De acordo com as autoridades que assumiram as investigações, Anderson possui um longo histórico criminal, o qual inclui acusações por drogas e violência doméstica.

Briga de vizinhos

Brigas entre vizinhos são comuns. O que não é natural é a discordância ocasionar mortes. Mesmo não sendo comum diferentes pontos de vista serem motivos de se extinguir a vida de uma pessoa, vez ou outra, acontece.

No final de janeiro deste ano, por exemplo, o jovem metalúrgico Leonardo Proença Almeida morreu, logo depois de ser atingido por uma pedra e um pedaço de madeira, durante uma discussão com vizinhos em um condomínio.

O crime ocorreu em Sorocaba (SP). Conforme foi divulgado por uma reportagem do G1, Almeida, um dia antes da discussão ocorrer, havia registrado um boletim de ocorrência contra os vizinhos.

De acordo com o boletim de ocorrência, Almeida afirmou que o irmão dele, de 5 anos, havia apanhado de uma criança moradora de outro apartamento e que tinha tentado conversar com a mãe do garoto.

“Meu irmão tem apenas 5 anos e direto vem apanhando do filho dessa mulher. O mesmo tem 10 anos e muito maior que meu irmão. E nessa tarde da ocorrência, chamei a mesma para conversar de forma civilizada, mas a mesma se mostrou irresponsável e ignorante, ao ponto de achar certo que a violência resolve algo, ainda mais envolvendo crianças, já que a mesma não serve de exemplo. Se demostra ser desequilibrada e frustrada”, escreveu.

O delegado só verificou a queixa de Almeida no dia 25, data em que realizou as considerações pertinentes ao registro.

“Conclui-se que se faz necessário melhor entendimento dos fatos, bem como a apresentação dos documentos e/ou informações pertinentes, por ora, delibera-se pelo presente registro para futura análise e indicação da tipificação delitiva pelo Delegado de Polícia da Delegacia de Polícia responsável pela apuração dos fatos”.

As investigações seguem em andamento.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Please enter your name here