Foto: Divulgação/Sintropet

Com as constantes denúncias contra supostos mototaxistas, a população precisa ficar atenta à padronização dos profissionais devidamente cadastrados na Companhia de Segurança, Trânsito e Transportes (CSTT) em Juazeiro (BA) e na Autarquia Municipal de Mobilidade (AMMPLA) em Petrolina (PE). A identificação do mototaxista é crucial para localizar e dar seguimento a denúncias.

O serviço de mototáxi em Petrolina foi regulamentado em 2010, com regras estabelecidas, para a padronização das motos e tarifas. Os usuários precisam verificar a placa e a motocicleta, que devem ser na cor vermelha. A farda do mototaxista cadastrado conta com o número de identificação que vai do 60001 ao 60797; a numeração deve constar também nas laterais da moto.

Em foto enviada pelo presidente do Sindicato dos Motociclistas Profissionais, Mototaxistas, Motofretistas, Motoboys e Condutores de Motos, Motonetas e Triciclos de Petrolina (Sinpropet), Marcos Souza, é possível verificar um mototaxista de Petrolina com a padronização adequada.

Gerado Pereira é mototaxista e trabalha desde 2010 em Petrolina/Foto: Sintrop

Outra alternativa é solicitar o serviço através da Central, pelo telefone 3867-7265. A população deve denunciar irregularidades à Polícia Militar (PM) ou à Ouvidoria do município através do número 156.

Já em Juazeiro a padronização é diferente. O mototaxista legalizado possui a motocicleta com placa vermelha, plotada em amarelo, com o número do alvará e a logomarca da CSTT nas laterais. Também utiliza uma camisa amarela com o número do alvará, a logomarca da CSTT e o brasão do município nas laterais, além do colete amarelo. O alvará é de porte obrigatório e qualquer usuário pode exigir que o mototáxi apresente o documento. Em caso de denúncia o usuário deve entrar em contato através do número 3611-8836, ou 153 da Guarda Municipal.

Em nota, a AMMPLA ainda informou que tem intensificado as fiscalizações e, diariamente, os agentes fazem blitz e abordam mototaxistas para verificar, entre outros itens, o Termo de Permissão (TP) cujo número deve ficar afixado no veículo autorizado. Outra medida de segurança adotada foi a proibição do uso da balaclava (touca ninja) pelos mototaxistas. Quem for flagrado com a touca pode ser autuado e pagar uma multa de R$ 150, como prevê o Decreto 83 de 2009.

A CSTT emitiu nota afirmando que também tem realizado fiscalizações diárias para coibir o transporte clandestino, e que uma campanha foi realizada nas redes sociais e nas rádios orientando as pessoas a como identificar o mototaxista legalizado. A Companhia ainda informou que todos os mototaxistas cadastrados em Juazeiro sabem que não podem atuar em Petrolina, nem os de Petrolina na cidade baiana.

Fonte

Deixe uma resposta