Promotor de Justiça do MPPE em Petrolina, Carlan Carlo da Silva. (Foto: Alieny Silva/Blog do Carlos Britto)

O promotor de Justiça do Ministério Público de Pernambuco (MPPE) em Petrolina, Carlan Carlo da Silva, voltou a se pronunciar sobre a recomendação emitida por ele, há pouco mais de uma semana atrás, para que o prefeito Miguel Coelho não realizasse gastos com festividades juninas – inclusive o São João -, priorizando o uso das verbas públicas, por conta dos transtornos causados pela paralisação dos caminhoneiros.

Numa nota, o promotor afirma que a “aparente normalidade dos serviços públicos municipais” fez com que ele considerasse “desnecessário” tomar “providências de caráter judicial” para garantia dos mesmos ou para a realização de eventos festivos no âmbito do município. No entanto, ele salienta que o MPPE continua realizando análises no processo licitatório e contratos decorrentes.

Vale destacar que a Prefeitura já havia informado que, além de revogar o decreto de emergência, “desde o início da greve, estabeleceu um plano de contingenciamento e criou um Comitê Gestor, conseguindo diminuir consideravelmente os transtornos causados durante e após a paralisação”. Além disso, reforçou que os serviços estão normalizados no município e reforçou a “grande relevância” da festa como geradora de receita para a economia local.

Acompanhe a nota do Promotor, na íntegra:

CB

Deixe uma resposta