Os números da violência em Pernambuco são questionados neste artigo pelo leitor Rubens Veloso. Ele acredita que o maior problema do Estado é a falta de uma liderança que possa conduzir com pulso firme as políticas para conter a violência e gerar empregos.

Boa leitura:

Vemos muitas notas nos jornais com números para tentar demonstrar os verdadeiros problemas do Estado de Pernambuco. Os defensores do atual governo apresentam números que demonstram eficiência na gestão da máquina pública. Os opositores do atual governo apresentam números totalmente divergentes, ratificando as pesquisas qualitativas. Cito aqui a pesquisa do Instituto Maurício de Nassau, mostrando que este é o pior Governo já enfrentado pelo Estado de Pernambuco.

Afinal, quais os números apresentados devem guiar as nossas intenções de voto? Será que os números são suficientes para guiar nossas decisões?

Eu digo que não. Os números são manipuláveis. Para se ter uma ideia, recentemente foi apresentado um número de 4.145 homicídios no nosso Estado. Em termos absolutos, somos o Estado com mais homicídios do Brasil. Todavia, hoje, vejo um Deputado levantar uma base de comparação grotesca para justificar os números, sendo muita cara de pau do dito parlamentar. Acho que ele duvida da inteligência dos leitores desse Blog, uma vez que menciona que em março tivemos 549 homicídios e em setembro tivemos 411 homicídios, mostrando a eficiência do Pacto pela Vida.

Ora, que base comparativa é esta? pegar um mês aleatório e comparar com outro? porque não utilizou o mês de junho? Ah!!! O número não atenderia, porque em junho foram 380 homicídios, não é mesmo? Pobre Deputado, logo, logo acabarão os artifícios para enganar a população.

Os números têm de ser apresentados de maneira séria, sem manipulações. A verdade é a seguinte: Pernambuco registrou 4.145 homicídios de janeiro a setembro deste ano, número 31,5% maior que o registrado no mesmo período de 2016, quando foram computados 3.152 assassinatos pela Secretaria de Defesa Social (SDS). Deputado, esta é a verdade, nua e crua. Estamos vivendo uma época de terror, um total desgoverno. Não temos liderança, todos sabem disso, inclusive os marginais.

O Pacto pela Vida faliu, faliu porque falta uma liderança em Pernambuco para conduzir com pulso firme as políticas necessárias para conter a violência e gerar empregos. Minha esperança é que, sempre quando a noite é mais escura é que estamos perto de ver a luz do novo tempo. Pernambuco é maior e sempre se ergue depois de uma queda.

Rubens Veloso/Leitor

(foto/arquivo reprodução)



Fonte

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Please enter your name here