Em virtude de alguns boatos em relação a realização de eventos na Praça da Juventude, localizada no bairro João de Deus, em Petrolina, a Associação Comunitária do bairro emitiu uma nota onde esclarece algumas informações.

Confira: 

“Temos enquanto instituição comunitária buscando nos harmonizar com as demais instituições na comunidade! Incluindo as igrejas evangélicas e também com a paróquia. A quadra poliesportiva da praça da juventude esta sendo solicitada por uma igreja evangélica para a realização de 03 dias de eventos.

E, segue em anexo, os motivos de ter sido indeferido pela instituição comunitária e também pela secretaria de disciplina cidadã antiga secretaria de ordem pública.

*1º A quadra poliesportiva da praça da juventude tem como finalidade praticas de esportes e lazer e não podemos privar os praticantes de tais atividades por 03 dias.

*2º O próprio requerimento padrão que deve ser preenchido e protocolado na própria secretaria deixa claro quanto às atividades de igrejas, escolas e postos de saúde que esteja em funcionamento próximo ao local do evento. E se o mesmo não ira interferir no funcionamento dos mesmos, e ate então a igreja católica e outras duas igrejas evangélicas nas proximidades da praça não foram procuradas para saber se as mesmas estão de acordo com tal evento.

03º O evento solicitado seria realizado nos dias 29, 30 de Setembro e dia 01 de Outubro que cai em um domingo, dia da principal missa na paróquia São João Batista que fica a menos de 100 metros do local solicitado.

Por fim asseguramos que nós agimos literalmente com responsabilidade e respeito para com as pessoas e não agimos de forma autoritária ou arbitraria para beneficiar a quem quer seja, de forma que só estamos sendo querentes em optar pelo indeferimento de tal solicitação para esse evento, visando proteger o direito dos usuários da quadra da igreja católica e das outras duas igrejas evangélicas das proximidades que tem o seu direito de congregar nos seus templos.”

Presidente da Associação Comunitária do João de Deus, Eugênio Alves. 



Fonte

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Please enter your name here