O nosso Sistema Solar é composto por diversos corpos. Planetas, o Sol, cometas, meteoritos, exoplanetas e diversas coisas estão presentes em nossa galáxia. O sol é a nossa estrela. A principal do nosso Sistema. E por esse motivo, os planetas giram em torno do mesmo. Até o momento, só conhecem vida aqui na Terra, pois os demais planetas que compõem o Sistema Solar não oferecem condições de vida. No entanto, existem estudos a respeito dos exoplanetas e alguns já afirmam que há outros lugares que podem abrigar seres humanos. Também animais e plantas.

Alguns cientistas dedicam suas vidas em busca desses resultados. E uma equipe, liderada pelos pesquisadores da Universidade de Genebra, na Suíça, confirmou a existência de um planeta do mesmo tamanho que o nosso. Ele orbita a estrela Proxima Centauri. Ela é a mais perto do sol que é conhecida, e fica a somente 4,2 anos-luz de distância da Terra.

De acordo com o  mostrado na pesquisa, o Proxima b, como é chamado, tem uma massa de 1,17 vezes a massa terrestre. E ele orbita a zona habitável da sua estrela a cada 11,2 dias.

Confirmação

A confirmação foi possível por conta das medidas extremamente precisas da velocidade radial da estrela. Elas foram feitas pelo espectrógrafo suíço ESPRESSO. Ele é o mais preciso que se tem atualmente nesse tipo de operação. Ele foi instalado no Telescópio Muito Grande (VLT), que é operado pelo Observatório Europeu do Sul no Chile.

Essa mesma equipe tinha detectado o Proxima b, mas usando um espectrógrafo mais antigo, o HARPS. Ele é três vezes menos preciso do que o ESPRESSO. E quando comparado, ele tem uma exatidão de 30 centímetros pro segundo.

“Já estávamos muito felizes com o desempenho do HARPS. Ele foi responsável por descobrir centenas de exoplanetas nos últimos 17 anos. Estamos realmente satisfeitos que o ESPRESSO possa produzir medições ainda melhores. É gratificante. E uma recompensa do trabalho em equipe que já dura quase 10 anos”, disse Francesco Pepe, professor do departamento de astronomia da Universidade Genebra e líder da equipe ESPRESSO.

Com o  instrumento foi possível saber a massa do planeta com uma precisão de mais de um décimo da massa da Terra. Isso é uma coisa por si só sem precedentes. Esses novos dados mostraram que a massa mínima do Proxima b é de 1,17 a da Terra. E não 1,3 como dizia a anterior.

Possibilidades

Segundo Alejandro Suarez Mascareño, principal autor do estudo, o Proxima b é um dos planetas mais interessantes da nossa vizinhança. E por mais que ele, esteja 20 vezes mais perto da sua estrela do que a Terra está dos sol, ele recebe uma energia comparável. E, teoricamente, é possível que exista água líquida na sua superfície.

Mesmo que o planeta pareça um lugar ótimo para se pesquisar biomarcadores os pesquisadores dizem que ainda é preciso aprender várias coisas. Como sobre o ambiente do planeta antes de sugerir que uma vida poderia ter se desenvolvido nele.

Outra coisa que a equipe precisa resolver são as medições precisas feitas pelo ESPRESSO. Elas levaram à evidências de um segundo sinal nos dados que os pesquisadores ainda não conseguiram estabelecer.

“Se o sinal for de origem planetária, este potencial outro planeta que acompanha o Proxima b teria uma massa menor que um terço da massa da Terra. Seria o menor planeta já medido usando o método da velocidade radial”, sugeriu Pepe.

Futuro

Segundo afirmou Christophe Lovis, que é do departamento de astronomia da Universidade de Genebra e responsável pelo processamento de dados do ESPRESSO, a equipe quer investigar todas as questões sobre o Proxima b. E fará isso com a ajuda de instrumentos futuros como o o espectrômetro RISTRETTO, que foi projetado para detectar a luz emitida pela Proxima b.

Deixe uma resposta