Atirador de colégio em Goiânia ficará três anos internado, decide Justiça

garoto de 14 anos que abriu fogo contra colegas de classe do Colégio Goyases, em Goiânia, cumprirá três anos de internação em unidade do sistema socioeducativo do estado. A Justiça de Goiás, através do juizado da Infância e Juventude, anunciou a medida nesta terça-feira (28).

Como lembrou o portal Metrópoles, no ataque, onde ele utilizou a arma da mãe que, a exemplo do marido, é policial militar, dois alunos de 13 anos foram mortos e outros quatro feridos, entre os quais, uma adolescente de 14 anos que ficou paraplégica.

 

A pena de três anos de reclusão é o máximo previsto em lei como medida socioeducativa imposta a adolescentes infratores. A advogada do atirador, Rosângela Magalhães de Almeida, afirmou que a defesa não vai recorrer “dada a gravidade dos fatos e a preocupação constante e primeira de garantir a integridade física dele, já que o jovem é filho de (policiais) militares”.

Ataque

O jovem confessou o crime e afirmou que o cometeu por ter sofrido bullying pelos colegas. Ele disse à polícia que se inspirou nos massacres de Columbine, nos Estados Unidos, e de Realengo, no Rio de Janeiro.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Please enter your name here