Foto: Reprodução

A Bahia voltou a receber remessas “com alguma regularidade” da vacina pentavalente, que protege contra difteria, tétano, coqueluche, hepatite B e contra a bactéria do influenza tipo B. De acordo com a Secretaria da Saúde do estado (Sesab), as doses não são suficientes, porém, para atender a demanda.

Em setembro deste ano, a Sesab teve o abastecimento da imunização comprometido devido a problemas na remessa do governo federal, o que levou 120 crianças a aguardarem as vacinas para outubro. O estado vem recebendo 30 mil doses, mas deveria manter um estoque de 198 mil para que sejam garantidas três ampolas por sala de vacina durante 22 dias do mês. Mesmo não sendo ideal, a pasta afirma que não há desabastecimento.

Os municípios baianos enfrentaram o problema este ano em reflexo à interdição de três lotes do imunizante em julho. De acordo com o Ministério da Saúde, o fornecimento das doses foi parcialmente suspenso na época porque os lotes foram reprovados no teste de qualidade do Instituto Nacional de Controle de Qualidade em Saúde (INCQS) e análise da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).








Fonte: Blog do Carlos Britto

Deixe uma resposta