Bem a propósito da histeria acusatória da esquerda canalha que infesta as redes sociais e as listas das universidades públicas, observa-se que, ao lado de líderes ‘intelectuais’ da esquerda lulopetista (como Boulos, Jean Willis e Márcia Tiburi), também Dilma se esforça para incriminar Bolsonaro pelo massacre em Suzano, além, óbvio, pelo ato suspeitíssimo de ele morar no mesmo condomínio dos assassinos de Marielle Coisa Alguma.

Leiam o que Dilma postou na internet:

“O porte de armas irrestrito e amplamente liberado a toda população vai dar instrumento para que o assassinato massivo se torne endêmico e cotidiano. A lei anticrime do ministro Moro é o encontro marcado com tragédias como a de Suzano. ”

Augusto Nunes não perdeu a vez e lascou:

Assim falou “Dilma Rousseff, no Twitter, ao culpar pelo massacre na escola em Suzano a liberação do porte de armas, que ainda não aconteceu, e a lei anticrime proposta por Sergio Moro, que ainda não foi aprovada, fingindo esquecer que o recorde de mortes em ataques do gênero foi alcançado em 2011, quando ela desgovernava o país, com os 12 assassinatos na escola em Realengo, no Rio”

Aliás, morar no mesmo condomínio dos assassinos de Marielle torna, ipso facto, Bolsonaro suspeitíssimo de ser o mandante do crime, segundo declarou o ‘intelectual’, com profunda formação em BBB (Big Bosta Brasil) e larga aceitação nas universidades públicas, Jean Willis, em recente palestra em Nova York.

Aguarda-se para breve a insinuação de Jean Willis (acompanhado de algumas cusparadas, presume-se) de que Bolsonaro, em conluio com Donald Trump, teria planejado o massacre nas duas mesquitas de Christchurch, Nova Zelândia.

O motivo do massacre ainda é objeto de especulação da intelectualidade petista.

Presumem desde já, entretanto, que além de ser um bom teste de armas de curta e média distâncias, o massacre serviria de advertência ao mundo islâmico, ante a aproximação do governo Bolsonaro com Israel.

Veremos, nos próximos dias, até onde chegarão os estudos investigativos da intelectualidade lulopetista sobre o massacre de Christchurch e a responsabilidade de Bolsonaro no caso.

Deixe uma resposta