‘Brasil colherá o que planta’, diz Lula sobre possível vitória de Bolsonaro

Em evento do PC do B hoje, o petista falou sobre a fragilidade da esquerda no País e a necessidade de “união nas ruas”; para ele, deputado federal do PSC-RJ tem “direito a se candidatar” e de “tentar convencer eleitores do País”

Lula admite fragilidade da esquerda e diz que ‘Bolsonaro tem direito a disputar eleições’ em evento neste domingo

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva admitiu, neste domingo (19), que a esquerda está “fragilizada” e que o Congresso Nacional de hoje, com bancadas conservadoras ocupando a maior parte das cadeiras, é o reflexo do “pensamento político da sociedade brasileira em 2014”. Para o petista, o deputado federal Jair Bolsonaro (PSC-RJ) tem “o direito de ser candidato”, e que, caso seja eleito, o Brasil deverá “colher aquilo que planta”. As informações são do jornal Folha de S. Paulo. 

Lula discursou hoje por 40 minutos durante um evento do PC do B, em que foi lançada a pré-candidatura da deputada Manuela D’Ávila. Segundo o petista, a aliança dos partidos de esquerda “está mais perdendo do que ganhando” e que, por isso, é necessária a mudança da postura para que as eleições de 2018 apresentem um resultado positivo. 

“Estamos fragilizados na luta [para evitar o desmonte do Estado], porque os congressistas que estão votando para desmontar não têm compromisso conosco. Se a gente não tomar cuidado, vai piorar nas próximas eleições”, defendeu.

Ainda sobre a corrida eleitoral do próximo ano, o ex-presidente disse que Bolsonaro ‘tem o direito de se candidatar’. “Não sou de extrema-esquerda e muito menos o Bolsonaro é de extrema-direita. O Bolsonaro é mais do que isso e quem convive com ele sabe o que ele é. Não vou dizer, porque acho que ele tem o direito de ser candidato”, criticou.

 

Para o petista, caso o deputado federal – famoso por sua postura conservadora e polêmica – convença os eleitores a votar nele, o País “colherá aquilo que planta”.

Divisão nas eleições

Com o lançamento da pré-candidatura de Manuela D’Ávila, esta será a primeira vez em quase 30 anos que o PC do B e o PT poderão disputar as eleições separadamente. Isso não ocorria desde 1989, mas o líder petista defendeu a ambição ao cargo pela deputada. “É um direito legítimo. Se não fosse a minha teimosia e a do PT, não teria chegado nunca à Presidência. Mesmo que não ganhe, se fizer uma campanha ideologicamente organizada, com a militância na rua, vale a pena”, disse.

 

A presidente do PC do B , Luciana Santos, também defendeu que Lula dispute o cargo, afirmando ser “um direito”. O PT aguarda uma decisão da Justiça sobre a possível candidatura de Lula em 2018. Isso porque, se ele for condenado em segunda instância, se tornará inelegível na disputa; porém, a defesa do petista ainda conta como uma liminar concedida por um tribunal superior  (como o Supremo Tribunal Federal) para que ele possa concorrer à Presidência.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Please enter your name here