Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Os brasileiros e familiares chineses que estavam em Wuhan, cidade da China que se tornou epicentro da epidemia do novo coronavírus, chegaram à base aérea de Anápolis (GO) na manhã deste domingo (9). Os passageiros desembarcaram em meio a uma chuva fina e usando máscaras sobre o nariz e a boca, exigência durante o voo.

Em seguida, eles foram levados de ônibus até um hotel de trânsito dentro da base aérea, onde devem ficar em quarentena por 18 dias. O acompanhamento da chegada foi restrito à imprensa e militares. Segundo informações do Ministério das Relações Exteriores, 34 pessoas fazem parte do grupo – entre eles, há sete crianças. A viagem de volta durou cerca de 37 horas.

Eles foram trazidos por meio de duas aeronaves VC-2 da Força Aérea Brasileira, com capacidade para 30 pessoas cada. Por volta das 0h, um áudio do presidente Jair Bolsonaro foi transmitido durante o voo informando que o grupo entrava no espaço aéreo brasileiro. “Sejam bem-vindos de volta ao seu país, ao nosso Brasil. Ninguém ficou para trás. Somos um só povo, uma só raça, somos irmãos“, disse. Inicialmente, porém, Bolsonaro havia dito que o governo que não tinha intenção de buscar o grupo. A mudança de posicionamento ocorreu após a divulgação de um vídeo em que brasileiros citavam preocupação com a situação em Wuhan e pediam apoio para retorno.

Missão de resgate

A operação para trazer o grupo começou na quarta-feira (5), quando as aeronaves partiram da base aérea de Brasília em direção a Wuhan. O voo teve escalas em Fortaleza, Las Palmas (Espanha), Varsóvia (Polônia) e Ürümqi (China). Antes de embarcar para fazer o trajeto de volta, o grupo passou por avaliação médica e exames. Ninguém apresentava febre ou outros sintomas, condição para que pudessem fazer a viagem.

No voo, passageiros tiveram que usar máscaras cirúrgicas e tiveram a temperatura testada a cada quatro horas. Imagens publicadas pela FAB mostram as áreas destinadas a tripulação e passageiros divididas por cortinas e equipe médica com máscaras, avental e luvas.

De acordo com o Ministério da Saúde, eles só serão liberados da quarentena de 18 dias após os resultados dos exames derem negativo – a partir da coleta de amostras respiratórias no 1º e 14º dia. (fonte: Folhapress)

Fonte: Blog do Carlos Britto

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Please enter your name here