(Foto: Divulgação)

A Câmara de Juazeiro autorizou, na sessão de ontem (2), a Prefeitura a fazer mais um empréstimo junto à Agencia de Fomento do Estado da Bahia (Desenbahia). Com voto contrário do vereador oposicionista Allan Jones (PTC), o projeto aprovado autoriza a contratação de crédito, oferecendo garantias, no montante de R$ 2 milhões. O objetivo é financiar a execução de obras e serviços de infraestrutura urbana e saneamento através da aquisição de maquinas pesadas.

Antes mesmo da votação, Allan Jones mostrou-se contrário ao empréstimo e justificou que a Prefeitura poderia obter esse valor, mensalmente, se fizesse uma revisão nos cargos comissionados. “Se houver revisão de cargos comissionados, com certeza o município talvez economize esses mesmos 2 milhões mensalmente”, afirmou, dizendo que esse empréstimo pode comprometer mais a ainda a atual administração e até as próximas gestões.

Allan Jones também lembrou que a Câmara autorizou, no ano passado, a Prefeitura a realizar um empréstimo de R$ 15 milhões, também junto à Desenbahia, para obras de infraestrutura. Mas ele disse que ainda não viu esse montante ser aplicado.

Vários vereadores saíram em defesa da Prefeitura, entre eles o líder da situação, Gleidson Medrado (PSD), e o presidente da Câmara, Alex Tanuri (PSL). O líder governista disse que o prefeito vai poder comprar uma usina de asfalto para Juazeiro e que as máquinas vão beneficiar várias localidades da cidade. Já Tanuri disse que as obras vão chegar nos 60 bairros contando com os residenciais e os nove distritos.

Prefeitura

Sobre as declarações de Allan Jones em relação aos R$ 15 milhões, a Prefeitura disse que “este processo ainda se encontra na fase de elaboração de projetos, que serão posteriormente avaliados pelo órgão concedente”, e que “o pedido atual de autorização para financiamento de R$ 2 milhões refere-se ao interesse na aquisição de máquinas e equipamentos que possibilitarão à Prefeitura se tornar a própria fabricante do asfalto a ser utilizado em obras na cidade”.

Ainda segundo a Prefeitura, “caso este financiamento seja obtido, o valor será abatido da autorização anterior, uma vez que a Desenbahia limita a R$ 15 milhões as liberações a serem feitas este ano”. “É importante frisar que a autorização legislativa é requisito exigido pela instituição concedente do financiamento, mas que outras condições precisarão ser atendidas para a efetiva liberação dos recursos. Obter a autorização, portanto, não significa a imediata obtenção do empréstimo”, diz a Prefeitura.

Por fim, a Prefeitura frisa que está com total condição de obter esse tipo de empréstimo e que recorrer a financiamentos é uma medida adotada pelas principais prefeituras do país, inclusive de Salvador (R$ 220 milhões), que tem ACM Neto (DEM) como prefeito, liderança apoiada por Allan Jones.

Fonte

Deixe uma resposta