Campus da Univasf em Juazeiro. (Foto: Google Street View)

A Sociedade Brasileira de Fruticultura (SBF), a Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf) e a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) realizarão o 26º Congresso Brasileiro de Fruticultura. Com o tema ‘Fruticultura de Precisão: Desafios e Oportunidades’, o congresso é voltado para estudantes, pesquisadores, produtores, agricultores e empresários da área. O evento acontecerá entre os dias 30 de setembro e 4 de outubro, no Complexo Multieventos, Campus Juazeiro (BA) da Univasf.

As inscrições são realizadas pelo site do evento. Até esta sexta (20) o valor varia entre R$ 150,00 e R$ 750,00, a depender da categoria do congressista. Após esta data, está sujeito a alterações. Minicursos e visitas-técnicas custam entre R$ 50,00 e R$ 75,00. A programação do congresso abrange conferências, apresentações de trabalhos, minicursos e mesas redondas. O congresso contará com palestrantes de diversas instituições do Brasil e do exterior e terá tradução simultânea.

As atividade terão início com a realização dos minicursos. No segundo dia, haverá a palestra ‘Mango-tech in Australia: Assessing Quality and Quantity’, com o pesquisador Kerry Walsh, da Universidade de Queensland, Australia. Walsh é o responsável por desenvolver um aparelho que avalia a qualidade de frutas secas e de pós-colheita sem danificá-las. Ainda no mesmo dia, a palestra ‘Mango Small Tree System Establishment and Maintenance’ será realizada pelo pesquisador da África do Sul, Steven Andrew Oosthuyse. Steven é o precursor do cultivo adensado de mangas, que é a produção reduzida de mangueiras com uma maior colheita dos frutos em pequenas áreas.

Durante o congresso, acontecerá o Prêmio Jovem Cientista em Fruticultura 2019, que visa a divulgar pesquisas científicas desenvolvidas por graduandos/graduados, mestres e doutores. O professor do Colegiado de Engenharia Agronômica Ítalo Lucena, que integra a organização do evento, destaca que o Prêmio Jovem Cientista é uma vitrine de inovação para a área de agronomia. “O prêmio é relevante para reconhecer que os trabalhos são bons para o setor produtivo e que estas pesquisas podem melhorar o cultivo da fruticultura”, conta Lucena.

Congresso

O Congresso Brasileiro de Fruticultura é realizado desde 1971 e reúne, a cada dois anos, profissionais que atuam no setor. Em 1991, o Vale do São Francisco sediou pela primeira vez o congresso, à época em sua 11ª edição. Segundo Lucena, a região é referência em tecnologias usadas na produção do cultivo de frutas. “Não existe lugar melhor no Brasil para discutir estes assuntos. O Vale é uma referência para a fruticultura, com uso de técnicas avançadas na produção de bons frutos. Esta área é responsável também pela geração de muitos empregos”, finaliza o professor.

Fonte: Blog do Carlos Britto

Deixe uma resposta