No dia 28 de março, um jovem casal da Coreia do Sul resolveu visitar o Lotte World Mall, em Seul, para conferir a exposição interativa Street Noise. Em meio à atração, havia um quadro abstrato e, próximo da obra, baldes de tinta e pincéis. Como os materiais artísticos estavam à disposição, o casal pensou que a presença dos objetos era um convite para os presentes realizarem uma intervenção na obra em questão. Como uma e outra pincelada, o casal acabou arruinando a pintura, avaliada em $ 440.000.

Conforme expôs uma reportagem publicada pelo portal de notícias All That is Interesting, o jovem casal – que, até o momento, não foi identificado – não imaginava que a atitude poderia colocá-los em uma situação embaraçosa. De acordo com a ABC News, eles realmente acreditaram que a exposição, por ser interativa, convidava os presentes a interagirem com as obras presentes.

A obra

A obra danificada pelo casal pertence ao grafiteiro americano John Andrew Perello e estava exposta no local desde 2016. Os baldes de tintas e os pincéis permaneceram ao lado da obra porque o artista, à data, havia finalizado a pintura diante de uma plateia. A performance fazia parte da programação “The Great Graffiti”.

Segundo as informações que foram disponibilizadas pelo veículo de comunicação The Independent, Perello, que atende por JonOne, não se pronunciou em relação ao incidente. Assim que o casal foi visto interferindo na obra de Perello, os responsáveis pela galeria notificaram imediatamente a polícia. Toda a atividade foi capturada pelas câmeras de segurança. O casal, assim que foi abordado pelas autoridades, expressou um pedido de desculpas.

A pintura, “Sem título”, permanecerá em exibição até 13 de junho de 2021. De acordo com a reportagem publicada pelo portal de notícias All That is Interesting, o quadro de Perello era o único da galeria que não possuía moldura, devido ao tamanho. Curiosamente, além da obra, os pincéis, bem como os baldes de tintas, por serem partes integrantes da obra de arte, também foram deliberadamente danificados.

No atual momento, Kang Wook, co-organizador da exposição, negocia com Perello o destino da peça. Os responsáveis pela galeria e o artista decidiram não apresentar queixa contra o casal. “Chamamos a polícia imediatamente e falamos com a nossa seguradora”, disse Wook.

“Mas como somos a agência responsável, faremos nosso melhor para minimizar os danos, tanto ao casal, que involuntariamente danificou a peça, quanto ao artista. Eles pensaram que podiam intervir no trabalho de Perello por ser uma exposição interativa, mas, infelizmente, se enganaram”.

Repercussão

Obviamente, o ocorrido ocasionou uma movimentação inesperada na galeria. A intervenção não autorizada atraiu multidões de pessoas, as quais ansiavam ver com os próprios olhos o resultado do dano ocasionado pelo casal. Wook aproveitou a repercussão da mídia para explicar as intenções do artista ao ter posicionado as ferramentas junto à própria obra durante o “The Great Graffiti”.

“Os baldes de tintas e os pincéis usados ​​pelo artista compõem um conjunto completo. Esses adereços tinham como objetivo narrar e destacar o trabalho do artista”, revelou Wook em uma de suas entrevistas aos meios de comunicação.

O artista, americano, atualmente mora em Paris e foi premiado com a Legião de Honra da França na categoria de cultura e comunicação em 2015. O específico título é dado a pessoas reconhecidas por serviços inestimáveis ​​à nação.

Para o coreano Ha Jae-geun, especialista em cultura pop, mal-entendidos como este são comuns e, por isso, não é surpresa que o público, ao ver pincéis e baldes de tintas diante de uma pintura, se sinta convidado a intervir na obra.

“Devido às características da arte contemporânea, haverá muitos acontecimentos como este daqui para a frente”, disse o especialista. “Os organizadores da exposição devem tomar um cuidado extra ao proteger fisicamente a obra de arte, pois o público pode, facilmente, se confundir”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Please enter your name here