Oxigênio é um dos quatro elementos químicos mais importantes para tornar a vida viável. A Terra é o planeta do sistema solar que mais possui oxigênio. A pergunta é, existe algum outro planeta ao redor do sol que possui oxigênio suficiente para que a vida humana seja possível? No planeta Terra, por exemplo, o oxigênio apareceu há 2,5 bilhões de anos – consequência da fotossíntese. Isso possibilitou o surgimento dos primeiros micro-organismos vivos. Conclui-se que, consequentemente, é necessária uma concentração de oxigênio acima de 16% para que haja seres vivos de vários tipos. Água é fundamental para que essa conta feche, uma vez que ela é rica em oxigênio. Seguindo essa linha de raciocínio, Marte seria o segundo planeta do sistema solar mais propenso à possibilidade de vida.

Marte

De acordo com um estudo da Nature Geoscience, pesquisadores acreditam que Marte possui oxigênio suficiente para preservar a vida. A equipe, liderada por Vlada Stamenkovi?, do Instituto de Tecnologia da Califórnia, estudaram a composição da água do planeta vermelho. A partir de uma modelagem da composição da água de Marte, eles calcularam quanto oxigênio seria dissolvido na água em várias regiões de Marte. A conclusão que eles chegarão foi de que o local possui oxigênio suficiente para a vida humana, ou seja, microbiana aeróbica básica. “Descobrimos que, em Marte moderno a solubilidade do oxigênio em vários fluidos pode exceder o nível necessário para a respiração aeróbica”, diz o artigo sobre a pesquisa.

Ainda assim, hoje acredita-se que a vida humana em Marte é inviável, uma vez que apesar de possui água, os níveis de oxigênio no “ar” é muito pequeno. “A atmosfera nesses lugares possui tão pouco oxigênio diluído que se torna tóxica para humanos. São apenas pequenos traços. Se fosse uma proporção maior, talvez a gente conseguisse sobreviver nesses ambientes”, explica Paulo Eduard, professor de física da UNB, para o site da UOL.

A chance

Mesmo com todas as circunstância contra, a equipe possui uma estratégia para transformar a vida possível em Marte. “Primeiro, eles desenvolveram um modelo químico descrevendo como o oxigênio se dissolve na água salgada em temperaturas abaixo do ponto de congelamento da água. Segundo, eles examinaram o clima global de Marte e como ele mudou nos últimos 20 milhões de anos, durante os quais a inclinação do eixo do planeta mudou, alterando os climas regionais”, afirmou o pesquisador. Os resultados mostraram que, embora as quantidades de oxigênio na atmosfera marciana sejam muito baixas, essas salmouras poderiam capturar o suficiente para criar um habitat no qual os micróbios viveriam.

A Nasa já possui um plano para produzir oxigênio em Marte. A ideia é enviar uma sonda para o planeta vermelho. Com um custo de quase 2 bilhões de dólares, a agência espacial americana anunciou alguns instrumentos que devem ser colocados em um robô que será enviado ao planeta vermelho em 2020.

E aí, o que você achou dessa matéria? Comenta com a gente e compartilha nas suas redes sociais. Para você que já vai marcar na sua agenda as férias em Marte, aquele abraço.

Fonte

Deixe uma resposta