A briga Compesa/prefeitura e a conta que sobra para os petrolinenses

O protesto dos moradores do Bairro Dom Avelar e demais comunidades da zona norte de Petrolina acende pela enésima vez a questão do esgotamento sanitário da cidade. A briga entre prefeitura e Compesa parece ser uma novela sem fim, e a população é quem sofre.

Mas agora todos os moradores que se utilizaram da mídia questionam: por que a Companhia diz que não tem como operar o serviço no Dom Avelar, mas ainda assim é ela quem recolhe pelos esgotos da cidade?

O prefeito Miguel Coelho também foi cobrado, uma vez que prometeu resolver o problema em cem dias, caso fosse eleito. Mas Miguel rompeu com o Governo de Pernambuco, e essa briga política desencadeou mais e mais sofrimento para a comunidade, que fica no meio dessa quizila. O prefeito, dessa forma, não pôde cumprir sua promessa.

No entanto, quando a Compesa diz que não é de sua responsabilidade a bacia do Dom Avelar, por que é responsabilidade arrecadar pelo serviço? A empresa deveria também não cobrar a conta dos petrolinenses. No meio dessa briga fica a população mais pobre, sem amparo, vendo o esgoto passar em sua porta e seus filhos sem poder sair de casa. Até quando, Petrolina?

David quer prisão de Isaac

O coordenador do Comitê 9.840 Baiano Contra a Corrupção Eleitoral e Ética na Política, David Lima de Souza, encaminhou ofício ao Tribunal de Justiça da Bahia (TJBA) solicitando a prisão preventiva do ex-prefeito de Juazeiro, Isaac Carvalho (PCdoB). O pedido de David é baseado nas várias denúncias e decisões tomadas pela justiça em desfavor do ex-prefeito.

Isaac responde e detona

Em resposta a David Lima, a assessoria de Isaac Carvalho diz que o coordenador do Comitê 9.840 “leva uma vida de frustrações eleitorais e profissionais, chegando a ser expulso de uma corporação e condenado diversas vezes por litigância de má fé e difamação”. Segundo a assessoria, David “mira o seu ódio e se traveste com a máscara da honestidade”. Por fim, diz que ele “se ampara juridicamente com ex-reitores municipais, envolvidos no maior escândalo de corrupção de Juazeiro, a Operação Boca de Lobo, da Polícia Federal, o que levou a prisão de um ex-gestor do SAAE e de um ex-procurador geral do município“.

Cadê os cargos?

Parece que os apoiadores do presidente Jair Bolsonaro (PSL) em Juazeiro (BA), que ralaram durante a campanha de 2018, ainda estão a ver navios. Pelo menos é o que se comenta nos bastidores da polícia local. Segundo informações, nenhum dos medalhões que fazem oposição ao atual governo municipal teria conseguido cargo em órgãos federais da cidade.

Fonte

Deixe uma resposta