O mundo tem se deparado com um novo tipo de realidade: a comunicação entre robôs e seres humanos no ambiente real e até na internet. Por meio do recursos da inteligência artificial, essa possibilidade de comunicação já tem acontecido. Até onde essa inteligência pode chegar ninguém consegue dizer. Mas que ela vem, revolucionando o mundo dos humanos, isso é real.

Todo desenvolvimento tecnológico amedronta os humanos. Por mais que essa tecnologia seja desenvolvida para ajudar as pessoas, ainda existe receio de que ocorra uma perda de controle. Um dos principais medos do homem é o de que os robôs criem consciência e independência, nos destruindo. Não é à toa que o tema é retratado, a todo momento, no cinema.

Mesmo que, no cinema, os cenários apocalípticos com o triunfo dos robôs seja uma coisa recorrente, isso não impede que as pessoas na vida real continuem trabalhando para ver até onde, essa inteligência pode chegar.

Esse foi o caso que o braço de pesquisa experimental da Samsung Eletronics mostrou na Consumer Electronics Show (CES), desse ano. Eles levaram uma demonstração do que seria o primeiro ser humano artifical do mundo. Foi uma simulação virtual de inteligência humana, que consegue aprender, conversar e se simpatizar com uma outra pessoa de carne e osso.

Projeto

Esses humanos simulados, que existiram nas telas e não no mundo real, se chamaríam NEON. O conceito que a Samsung quer é que eles consigam desenvolver personalidades convincentes. E que eles se tornassem companheiros amigáveis e pudessem ocupar funções normais, como instrutores de ioga, âncoras de TV e porta-vozes.

“NEON é como um novo tipo de vida. Existem milhões de espécies em nosso planeta e esperamos acrescentar mais uma. Os NEONs serão nossos amigos, colaboradores e companheiros. Continuamente aprendendo, evoluindo e formando memórias de suas interações”, disse Pranav Mistry, presidente da STAR Labs. Essa é uma abreviação para Samsung Technology & Advanced Research.

O presidente até twittou um exemplo de um NEON, com a aparência do falecido cofundador da Apple, Steve Jobs. Até o momento, existem pouquíssimas informações a respeito do NEON. Isso porque nas publicações não entram em detalhes.

Humanos

As informações apresentadas são poucas, e várias delas não são oficiais. E elas apontam para o lançamento de algum tipo de tecnologia de avatar digital, que consiste em uma figura baseada em CGI.

O NEON tem perfis em várias redes sociais, como Facebook, Instagram e Twitter. As publicações são focadas em deixar os usuários mais curiosos, com imagens, gifs e animações futurísticas. Além de depoimentos de pessoas que, teoricamente, tiveram um contato breve com a tecnologia. Uma dessas pessoas chegou a dizer que não era possível ver a diferença do NEON, para um ser humano de verdade.

A agência Let’s go Digital tinha visto que três marcas, foram registradas pela Samsung Research America. Foram elas “NEON Artificial Human”, “NEON.Life” e “Core R3”. O projeto era descrito como “produção de efeitos especiais, incluindo serviços de modelagem, imagens e gráficos gerados por computador para a produção de filmes, vídeos e trailers de filmes”. Isso teria como base, a realidade aumentada e realidade virtual para ser usado para o entretenimento.

De acordo com Mistry, a tecnologia do NEON deve se tornar essencial para os humanos, na década de 2020.

Deixe uma resposta