A convenção do PSDB de Pernambuco, realizada ontem (5) no Recife, a qual confirmou o ministro Bruno Araújo (Cidades) na presidência da legenda para o biênio 2018/19, ratificou um novo projeto político das oposições para o Estado.

Prova disso foi o número de lideranças políticas de outros partidos no evento. Estavam lá os representantes do PMDB (senador Fernando Bezerra Coelho), do Democratas (deputada estadual Priscila Krause), do PPS (ministro Raul Jungmann), do PTB (deputado federal Jorge Corte Real) e do Podemos (advogado João Campos). Todos reconheceram que o PSDB terá um papel central na construção não somente da unidade, como de um projeto diferente do atual modelo de gestão, que consideram falido.

No entendimento das oposições, o momento não é de priorizar a ocupação de cargos em eventuais chapas, mas de avançar no diálogo em torno de convergências que, segundo o presidente do PSDB-PE, Bruno Araújo, tornarão possíveis um novo projeto para o Estado. “Vamos pensar e construir juntos com o PMDB, com o Democratas, com o PTB, com o Podemos, com o PPS e com tantos outros partidos, vamos avançar no diálogo em torno de qual é o Pernambuco que devolverá a autoestima aos pernambucanos”, declarou.

Além da nova executiva estadual, a convenção marcou ainda a escolha dos comandos de segmentos como o Mulher, Juventude e Tucanafro. A nova executiva do PSDB-PE presidida por Bruno Araújo terá ainda os seguintes componentes; 1º vice, ex-governador João Lyra Neto; 2º vice, Guilherme Coelho; 3º vice, André Régis; Secretário-geral, Betinho Gomes; 1º secretário, Antônio Moraes; Tesoureiro, Joaquim Neto; 1ª vogal, Terezinha Nunes; 2ª vogal, prefeito João Tenório; 3ª vogal, Alessandra Vieira; e 4ª vogal, Izabel Urquiza.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Please enter your name here