Embora o PSB tenha sido o ‘fiel da balança’ no impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff, algumas das principais lideranças da legenda socialista em Pernambuco acreditam numa reaproximação política com o PT para as eleições 2018. É o caso do deputado estadual Lucas Ramos.

Sobre o episódio do afastamento de Dilma, o parlamentar sertanejo lembrou que seu partido dividiu-se sobre a questão, e ele se mostrou contrário ao impeachment por acreditar que o então vice de Dilma, Michel Temer (PMDB), não iria servir ao povo brasileiro como ele esperava. “Isso está muito claro hoje”, afirmou. Ele acrescentou que sua defesa, à época, era por eleições diretas para presidente da República.

Lucas considera fundamental a retomada da aliança entre PSB e PT como forma de “resgatar a história de luta democrática e de movimentos sociais” do seu partido.

Críticas

O deputado aproveitou para rebater as críticas relacionadas a essa possível aliança, feitas pela atual frente de oposição, a qual caminha para ser liderada no Estado pelo senador Fernando Bezerra Coelho (PMDB). Lucas disse estranhar tais críticas, visto que FBC serviu ao Brasil como ministro de Dilma, e foi eleito senador pelo PSB. “A reeleição do governador Paulo Câmara é tratada dentro do nosso partido com naturalidade, e é legítima a movimentação do senador para viabilizar sua candidatura. Só não acredito que interesses pessoais e familiares devam estar acima do povo pernambucano”, ponderou Lucas.



Fonte

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Please enter your name here