O Defensor Público-Geral de Pernambuco, Manoel Jerônimo de Melo Neto, esteve pela quarta vez este ano em Petrolina. De acordo com ele, as vindas ao município são uma forma de aproximação dos defensores e servidores do núcleo local, um dos mais atuantes no Estado. “Minha intenção é buscar ouvir a sociedade, os defensores, servidores, estagiários, buscando o melhor no planejamento estratégico para que a gente possa estar sempre avançando”, comentou, em entrevista a este Blog.

Prestes a encerrar seu segundo mandato à frente do órgão estadual, Manoel Jerônimo comemora as conquistas. “A OEA (Organização dos Estados Americanos) considerou nossa Defensoria como uma das melhores na America latina. A Defensoria Pública pernambucana esta no caminho certo”, festeja.

O núcleo de Petrolina é formado por 11 defensores, vários estagiários e servidores. “Com esse novo concurso público, três defensores virão para Petrolina, somando forças aos nossos defensores que já estão aqui”, adianta.  “Ainda existem várias Comarcas sem defensores e esse concurso servirá para preencher essas vagas. Orocó, Afrânio, Lagoa Grande, Santa Maria da Boa Vista e outras cidades receberão”, ressaltou.

Apesar de estar bem, Manoel Jerônimo acredita que a intenção maior é interiorizar o papel da Defensoria. “Precisamos melhorar ainda mais. Buscamos sempre nos virar para o interior, porque é no interior que existe a maior dificuldade por serviços de qualidade. Buscamos impedir a violação ou a negação de direitos das pessoas que não podem pagar um advogado. A função da Defensoria Pública é tutelar, proteger direitos do cidadão. O serviço jurídico da Defensoria pernambucana é de muita qualidade. Só temos a louvar.

A Defensoria Pública de Petrolina fica localizada na Rua Augusto Carvalho Brandão, nº 187, Centro.  O telefone para contato é o (87) 3861-3368. “O nosso usuário não vai ficar desassistido, vai ter defesa para todos”, garante o defensor público-geral.

Título de cidadania

Manoel Jerônimo será agraciado, hoje (24), com o título de cidadão de Orocó. A proposição é do vereador Ighor Crateú. A solenidade acontecerá na Câmara Municipal, às 16h. “Além de receber o título de cidadão orocoense, ainda vamos propor uma ação civil pública para evitar o fechamento do Banco do Brasil e promover uma grande ação em prol da comunidade quilombola local”, frisa.

O mandado de Jerônimo termina em maio de 2018. “Ate lá, estaremos nesta missão: defender o cidadão. Quero agradecer a cada defensor que me conduziu a este cargo por duas vezes. Conseguimos inaugurar 42 novos núcleos, fizemos dois concursos públicos, temos estagiários remunerados, 500 voluntários. Temos feito um trabalho importante nas escolas públicas, onde o defensor vai à sala de aula, entre outros. A nossa Defensoria Pública se justifica com o selo de Justiça”, finaliza.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Please enter your name here