Fevereiro é o mês dedicado a combater os males causados pelas bebidas alcoólicas. Nesta segunda-feira (18), o Dia Nacional de Combate ao Álcool serve como forma de conscientizar a sociedade sobre os malefícios do consumo exagerado.

O alcoolismo é responsável por destruir famílias e a vida social de quem bebe muito. O alcoólatra é considerado aquele que causa prejuízo social e também pessoal em consequência do abuso da bebida, além de sinais de abstinência e dependência do álcool.

Dados do Ministério da Saúde mostram que a prática de consumir excessivamente bebidas alcoólicas vem crescendo ano a ano no Brasil, que atualmente está entre os 10 países com maior consumo. Segundo a avaliação, quase 20% dos brasileiros estão entre os que bebem demais.

O álcool é um grande fator de risco para o desenvolvimento de diversas doenças, sendo muitas delas bem graves. Danos no sistema nervoso, gastrites e úlceras, danos hepáticos e câncer são algumas das enfermidades que podem aparecer pelo seu consumo excessivo. Além de ser prejudicial à saúde, a bebida alcoólica também é a causa de 50% dos acidentes de transito, segundo o Detran.

A informação é a principal ferramenta na luta contra a dependência do álcool. Uma das melhores formas de combate é falar do assunto, mostrar que o dependente tem escolhas e disponibilizar dados que tem aumentado cada dia mais. É importante esclarecer todo mal que a bebida faz ao corpo e a mente.

A dependência causa grande impacto na vida do indivíduo e também daqueles ao seu redor. A família, em especial, é uma peça importante na prevenção do consumo. Inclusive, não são poucas as vezes em que o tratamento começa pela família, principalmente porque a pessoa não aceita seu problema, não reconhece que o uso de bebidas alcoólicas traz prejuízos ou está desmotivada para buscar ajuda.

Tratamento

O doente precisa passar por um processo de desintoxicação e também psicológico, para que os comportamentos mentais que o fizeram beber não se repita. A dependência do álcool pode ser tratada e controlada. Existem diversos programas e profissionais habilitados para ajudar nesse desafio. As informações são da UPAE/Imip Petrolina.

Fonte

Deixe uma resposta