A iniciativa tem o objetivo de dar oportunidade aos alunos de ingressar na vivência empresarial, antes de concluir a graduação. (Foto: Divulgação/Energize.Jr)

A empresa Energize Jr. formada por estudantes do curso de engenharia elétrica, da Universidade Federal do Vale do São Francisco (UNIVASF), tem mudado a concepção de diversos estudantes, diante do mercado de trabalho em Petrolina e Juazeiro.

Apostando em energia renovável, o grupo fundado em 2015 conta com uma equipe bem estruturada e dividida em diversos setores, com 16 membros efetivos, 19 trainees e cinco membros honorários. “A empresa surgiu em 2015, mas a ideia começou em 2014 com cinco estudantes de engenharia elétrica. Inicialmente contou com cinco pessoas: Diretor Presidente, Vice presidente, financeiro, gestão de pessoas e projetos. Na sequencia o grupo abriu um edital de processo seletivo para os novos membros”, afirmou o diretor presidente Aldenor Ribeiro.

A iniciativa tem o objetivo de dar oportunidade aos alunos de ingressar na vivência empresarial, antes de concluir a graduação. Os jovens trabalham de forma voluntária e todo o dinheiro arrecadado com os projetos, volta em capacitação para os membros.

A verba é arrecadada através de consultorias, feitas pelo o grupo, com supervisão de uma equipe de professores e a revisão de um engenheiro graduado. Na consultoria, um projeto está sendo executado na própria universidade com uma avaliação da eficiência energética das lâmpadas da Univasf em Petrolina e Juazeiro, além do HU-Univasf em Petrolina.

Os serviços são divididos em: eficiência energética, energia solar, Sistemas de proteção contra descargas atmosféricas (SPDA) e instalações.
Entre as parcerias desenvolvidas está a energia solar, onde o grupo trabalha com parceiros na elaboração de projetos. Um mercado que cresce em Petrolina, segundo os membros do grupo.

A energia solar é uma das fontes alternativas e renováveis, que está crescendo e ganhando espaço entre os brasileiros. O Brasil é um bom mercado para o setor energético, devido a radiação solar média que incide sobre a superfície do país é de até 2300 quilowatt-hora por metro quadrado (kWh/m²), conforme o Atlas Solarimétrico da Cepel.

Segundo Aldenor Ribeiro, o investimento em placas pode reduzir o consumo de energia elétrica em 100%, funcionando de forma alternada. “A energia solar é conectada à rede de energia já existente na residência e durante a noite existe a possibilidade de usar energia elétrica ou energia armazenada em baterias. O consumo excedente pode ser “vendido” a empresa responsável pela a rede elétrica e o valor será abatido na conta de energia. A redução de gasto, pode ser total”, afirma.

Informações sobre o investimento em energia limpa, pode ser adquiridas através do e-mail energizejr@gmail.com ou por telefone 87 98803 2447.



Fonte

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Please enter your name here