Há cerca de 10 anos, as redes sociais chinesas foram tomadas por um tipo de conteúdo que virou tendência na internet, o mukbang. De forma resumida, mukbang pode ser traduzido como “transmissão de comer”. E, desde sua criação, nunca foi um problema fazer, mas recentemente, a China declarou guerra contra influencers que fazem vídeos comendo e isso gerou algumas polêmicas.

De sua criação para cá, o formato de vídeo não evoluiu muito. Assim, a ideia é comer de frente, seja por ser atraente ou mesmo porque conseguir comer grandes quantidade em pouquíssimo tempo. Porém, agora, o governo chinês começou a impor uma série de restrições para esse tipo de conteúdo. Além disso, em breve, esse formato ser proibido por completo no país.

Uma forma de lutar contra o desperdício de alimentos

Atualmente, a China vive uma crise de importação de produtos básicos, como alimentos, e inundações recentes também têm afetado safras locais. Nesse sentido, a escassez de alimentos sempre foi uma grande preocupação dentro do país. Portanto, com tudo isso em mente, Xi Jinping, Secretário-Geral do Partido Comunista da China, ou presidente do país, pediu para que as pessoas “lutem contra o desperdício de alimentos”.

Com o pronunciamento, foi lançada a campanha “Prato Limpo”, que busca evitar o desperdício e ainda pretende “manter um sentimento de em relação alimentar”, afirmou Jinping. Dito isso, não demorou muito para que a mídia caísse matando em cima de quem produz conteúdo de mukbang. E, em resposta, governo também tomou uma atitude quanto a isso. Hoje, se você pesquisar termos como show da comida” ou “comendo ao vivo” irá receber textos alertando sobre a não recomendação da busca por esse tipo de entretenimento.

Matérias selecionadas especialmente para você!

Deixe uma resposta