Um encontro marcado para o próximo dia 25 de julho reunirá em Petrolina vários especialistas que irão debater sobre mobilidade e cidadania urbana. O evento acontecerá no Nobile Hotel (antigo Quality), Orla II, e é promovido pelo Sindicato das Empresas de Transporte Coletivo do Vale do São Francisco (Setranvasf).

O objetivo é discutir vários temas ligados à área no município, que apesar de ostentar uma das melhores tecnologias embarcadas no sistema de transporte público – o MobiPetrolina -, ainda não tem o seu plano de mobilidade (PLANMOB) implementado.

O encontro irá contar com palestra de Francisco Cunha, consultor da TGI e autor do livro “Calçada – o Primeiro Degrau da Cidadania”; Félix Araújo Neto, superintendente de transporte de Campina Grande (PB); e Cristiano Roberto, coordenador de operações do Norte e Nordeste da Cittati Tecnologia em Desenvolvimento. Um dos temas abordados será a tecnologia para o transporte público, ressaltando a importância de soluções para o cliente através de celulares e tablets, que garantem mais segurança e velocidade.

Petrolina está entre as melhores cidades do país em termos de tecnologia embarcada. Há bilhetagem eletrônica, gratuidade controlada por biometria facial, vídeo-monitoramento e controle total da frota por GPS. Além disso, o usuário tem à sua disposição um aplicativo com os horários dos ônibus, podendo planejar melhor as suas viagens.

O MobiPetrolina possui uma rede de vendas com mais de 50 postos de recargas, com aplicativo de venda por cartão de crédito. As empresas podem comprar vale-transporte pela internet e os estudantes também têm a opção de fazer o seu recadastramento de forma online.

Ciclovia

Poucos sabem que Petrolina tem uma das melhores malhas de ciclovia do Nordeste, mas é mal utilizada, com uma localização deficiente das estações de bicicletas e uma falta de integração aos demais modais de transporte. Felix Araújo irá falar do exemplo de Campina Grande, cidade que possui muitas similaridades com Petrolina. Ambas têm importância econômica nos seus Estados e não são capitais. Segundo a gestora do Setranvasf, Flávia Cavalcanti, Campina Grande avançou bastante no que diz respeito ao transporte coletivo, pois houve um forte investimento em planejamento urbano, pavimentação e priorização do transporte coletivo.

Ela explica que melhorar o transporte coletivo não se resume a comprar ônibus novos, mas a dar ênfase a todo um planejamento urbano. Segundo Flávia, atualmente um dos grandes problemas do serviço em Petrolina é a falta de investimento na infraestrutura viária e no mobiliário urbano. Uma considerável parte dos itinerários dos ônibus se dá em estradas de terra, que podem causar acidentes ou incômodos aos usuários e, ainda, danificar os veículos. “É fundamental que o município priorize a utilização do transporte público, com a adoção de faixas exclusivas, melhorias nas calçadas, nos abrigos e estruturas dos terminais“, exemplifica a gestora.

 Acessibilidade

A acessibilidade também será debatida. O MobiPetrolina está preparado para receber usuários com mobilidade reduzida, mas as calçadas estão danificadas, impedindo que os cadeirantes cheguem aos pontos de ônibus. Existe um outro item sensível nas discussões: não se pode pensar apenas em Petrolina, mas em todo o Vale do São Francisco, que é composto por cidades que se complementam. “Há pessoas que trabalham ou estudam em Petrolina e moram em Juazeiro. O contrário também acontece e, por isso, é inviável que o usuário precise ter mais de um cartão de acesso aos coletivos”, justifica Flávia, ressaltando a necessidade de diminuir a burocracia para facilitar a vida do usuário.

CB

Deixe uma resposta