Tatyana Staklevski, de 37 anos, veio de mudança para Brasil há cerca de 6 anos depois que se casou com um brasileiro. Staklevski e o brasileiro possuem dois filhos que moram com o casal no Rio de Janeiro. Segundo a russa, que anteriormente morava na segunda maior cidade da Rússia, São Petersburgo antes de chegar até aqui, a única coisa que ela sabia sobre os brasileiros era que nós gostamos muito de futebol e novelas.

No entanto, devido ao tempo que ela já se encontra morando no país, Tatyana já se adaptou muito a nossa rotina e costumes e diz que já se considera quase uma de nós. Em seu perfil no Instagram, Staklevski conta um pouco de como é seu dia a dia no Brasil e destaca os contrastes de ter deixado sua terra natal para viver em um país tão distinto do seu. Abaixo você confere alguns tópicos interessante citados por Tatyana sobre o Brasil.

1 – Os brasileiros têm estilo e moda definidos por eles mesmos

Segundo o que observou Tatyana, as pessoas no Brasil não ligam tanto para a forma física. E mesmo que as mulheres usem tamanhos considerados grandes em seu país, elas ainda usam calças justas e leggings. Staklevski fica impressionada por todos usarem sandálias Havaianas. “Elas são usados ??para ir trabalhar, para ir a restaurantes, para a praia e para caminhadas”.

A russa ainda se disse espantada pela quantidade de pessoas que a questionou se ela descoloria seus pelos dos braços e pernas ao invés de arrancá-los, como é mais comum de onde ela vem. Além da surpresa com os cuidados com os dentes. “Eu nunca vi ninguém aqui com dentes amarelados. Eles os escovam depois de cada refeição e em restaurantes, você pode até achar fio dental, anti-séptico bucal e outros produtos de higiene”.

2 – Contraste sobre a qualidade de vida das pessoas

Staklevski ficou impressionada com o contraste entre os moradores da cidade do Rio de Janeiro, onde mora com sua família. “A maior parte da população do Rio de Janeiro vive em favelas. Pessoas de classe média e pessoas muito ricas vivem em condomínios extremamente caros. É como se houvesse 2 mundos ou 2 planetas lá. Tudo é diferente: todos os edifícios, as pessoas e seu estilo de vida, a aparência, a maneira como falam, seus hábitos e sua cultura”.

3 – As famílias de classe média e as domésticas

Tatyana observou que muitas famílias consideradas de classe média no Brasil contratam os serviços de empregadas domésticas e que geralmente essas pessoas são de origem pobre e moram nas regiões mais necessitadas das cidades. A russa relatou as dificuldades que teve em encontrar alguém para lhe ajudar com as tarefas domésticas, mas que com o tempo ela conseguiu uma mulher “responsável e que não desaparece”, e que faz seu trabalho bem.

“Em muitas famílias, há uma empregada que vem uma ou duas vezes por semana e ajuda-os com a limpeza. Se uma garota vem mais de 2 vezes por semana, ela precisa trabalhar legalmente. É muito difícil conseguir esse tipo de trabalho e você tem muita sorte se o fizer. Mas há um paradoxo: é difícil encontrar uma empregada também – muitas pessoas são muito preguiçosas para trabalhar”.

4 – As pessoas usam chapéus e jaquetas a 20ºC

Para Staklevski, o mês mais frio do ano no Brasil é julho. Além de que, no Rio é bem chuvoso. “Uma vez eu estava no elevador quando conheci minha vizinha que estava realmente preocupada com o frio terrível lá fora: ela estava vestindo uma calça, um cachecol e botas. A temperatura era de 17ºC!”.

5 – Algumas salas de cinemas atendem crianças pequenas

A ideia de um cinema adaptado onde as mamães possam ir acompanhadas de crianças e bebês de colo deixou a russa muito feliz. “É assim: o teatro está cheio de mães com filhos, os adultos assistem ao filme e as crianças podem chorar, correr, rastejar, gritar e brincar. […] No chão, ao lado da tela, há brinquedos infantis e uma mesa especial onde você pode trocar a fralda do seu filho”.

6 – Não há trens no Brasil

Um detalhe muito importante que Tatyana observou sobre nosso país é que não há trens por aqui. Não há linhas comerciais, como acontece em outros países. Além de apontar que a esmagadora maioria dos brasileiros não fala inglês. “É estranho que um país tão grande quanto o  Brasil não tenha trens. As cidades são muito distantes, mas você só pode usar carros, aviões ou ônibus. A melhor maneira de viajar é de avião, mas é muito caro, então poucas pessoas podem pagar. […] Se você quiser viajar, você vai ter que falar português de alguma forma porque a maioria dos brasileiros não fala inglês”.

7 – Abraços calorosos para amigos e desconhecidos

Para a russa, um dos hábitos mais comuns dos brasileiros é o que ela mais tem dificuldade para se acostumar. É natural para nós brasileiros nos cumprimentarmos, mesmo que não nos conheçamos, com beijos no rosto e abraços. E ela ainda diz que isso pode ser bem demorado. “Tanto homens, quanto mulheres se beijam, e é apenas uma maneira de cumprimentar as pessoas, não há nada de ruim nisso. Os brasileiros adoram essa tradição que às vezes pode levar vários minutos, enquanto eles beijam de 20 a 30 pessoas”.

Então pessoal, o que acharam da matéria? Deixem nos comentários a sua opinião e não esqueçam de compartilhar com os amigos.

Fonte

Deixe uma resposta