Os nossos antepassados escondem diversas coisas que ainda não sabemos, mas os arqueólogos dedicam suas vidas para descobrirem algo novo diariamente. Recentemente, escavaram 32 sepulturas no complexo El Choro, em Pomalca, no Peru. De acordo com relatos da mídia local, esses restos mortais foram encontrados próximos às urnas de cerâmica. Junto com eles, havia outros itens domésticos, como colheres de ossos e metal. O mais intrigante de tudo é que esses esqueletos estavam sem os pés.

Alguns pesquisadores que trabalham no Museu das Tumbas Reais de Sipán disseram que havia 15 corpos. Entre eles, de adolescentes e crianças da Civilização Moche, que não têm ossos do membro inferior. Segundo Edgar Bracamonte, supervisor das escavações, ele e sua equipe achavam que isso era resultado de amputações. Entretanto, eles notaram que uma ossada estava sem a fíbula (osso da panturrilha), o que sugeria que os ossos dos pés foram roubados dos túmulos.

De acordo com o portal IFL Science, o roubo desses restos mortais em culturas pré-hispânicas era muito comum. Esses ossos eram usados para fabricar jóias, por exemplo. “Isso torna os rituais e o culto aos mortos ainda mais importantes e intrigantes”, disse Bracamonte. A Civilização Moche era um grupo de povos indígenas que dominavam o norte do Peru antes mesmo dos Incas. Mais tarde, os colonialistas espanhóis assumiram o poder. O povo Moche construiu diversas grandes estruturas, parecidas com pirâmides, criou obras de cerâmica e realizava sacrifícios humanos para seus deuses.

Até o presente momento, 23 dos túmulos encontrados são de Mochicas. Os outros nove são da cultura de Lambayeque, que vieram depois dos Moches. Junto com os corpos, os arqueólogos escavaram pelo menos 150 embarcações de diversos tumis (facas cerimoniais). “Nos rituais havia comida, bebida e música. Encontramos muitos instrumentos e alimentos de todos os tipos que estão bem preservados, além de vários potes com vestígios do preparo de refeições”, disse Bracamonte. Ele e sua equipe iniciaram as escavações no final de setembro de 2018.

E aí, o que você achou dessa matéria? Comenta pra gente aí embaixo e compartilhe com seus amigos. Lembrando sempre que o seu feedback é extremamente importante para o nosso crescimento.

Fonte

Deixe uma resposta