Centenas de mulheres estiveram reunidas em Juazeiro (BA) participando de um debate sobre a violência que atinge as mulheres que trabalham como prostitutas na cidade. O seminário teve como tema “Violência no exercício da prostituição: invisibilidades e contradições” e foi realizado na noite da última quarta-feira (22) e durante todo o dia de ontem (23), no Centro de Cultura João Gilberto.

A iniciativa foi da Pastoral da Mulher da Diocese de Juazeiro, com o objetivo de sensibilizar e dialogar com a sociedade sobre a violência sofrida pelas mulheres que exercem a prostituição. Durante o seminário foi exibido um vídeo-documentário produzido pela Pastoral, com depoimentos de quem passou por violência no exercício dessa profissão.

Entre as palestrantes, participaram a advogada feminista Laina Crisóstomo Souza de Queiroz, coordenadora da ONG Tamo Juntas, que presta assistência a mulheres que sofrem violência na cidade de Salvador; a coordenadora do grupo de estudos feministas da Universidade Estadual do Rio Grande do Norte, Elbênia Neris; a delegada da Mulher de Juazeiro, Rosineide Motta Medrado; a delegada regional da Polícia Civil (PC), Lígia Nunes; e a representante da Marcha Mundial de Mulheres, Tainá de Menezes.

Para a coordenadora da Pastoral da Mulher, Fernanda Lins, o objetivo de tirar essa temática da invisibilidade foi alcançado. “Ressalto que ainda é necessário continuar na luta por uma sociedade mais igualitária para as mulheres e onde seus direitos sejam garantidos. E destaco a importância do trabalho conjunto e em rede para o enfrentamento desse problema“, frisou Fernanda. (foto/divulgação)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Please enter your name here