Em entrevista à Radio Jornal, o senador Fernando Bezerra Coelho (PMDB) falou sobre a relação de distanciamento entre ele e o Governo da Paulo Câmara dese o início da gestão.

“No ano de 2016 tivemos o direito de formar candidatura de Miguel Coelho pelo PSB e na virada para 2017, imaginávamos que o partido daria voto pelo afastamento de Dilma Rousseff, essa foi a primeira leitura, mas em maio decidimos tomar outro rumo, e sempre foi uma relação de distância”.

Sobre as divisões e conflitos no PSB, o senador deixou claro que o processo de radicalização levou o mesmo a tomar a decisão de sair do partido e marcando o seu rompimento com o governador.

 

 

 






DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Please enter your name here