Cotado para ser o candidato a presidente da República pelo PSDB no ano que vem, o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, revelou seu desejo de firmar uma aliança com o PSB. De passagem pelo Recife, neste domingo (19), o tucano fez uma visita à casa de Renata Campos, viúva do ex-governador Eduardo Campos. O encontro aconteceu três meses depois que o ex-presidente Lula (PT) também frequentou a residência da ex-primeira-dama.

Após romper com o PT para lançar a candidatura de Eduardo Campos a presidente, em 2014, o PSB esteve ao lado dos tucanos no segundo turno da disputa, quando apoiou Aécio Neves. Porém, recentemente, se distanciou do governo Michel Temer e vem se reaproximando dos petistas, que podem compor uma chapa com os socialistas na disputa pelo governo do estado.

“Claro que nós queremos ter uma aliança com o PSB. Agora não depende só de nós. E respeitamos os partidos. Então quem não tiver candidato a presidente, se nós pudermos fazer aliança, é positivo. Na questão de Pernambuco, cabe aqui ao diretório”, colocou Alckmin, antes de seguir para a casa de Renata Campos.

Renata Campos

Ao comentar sobre sua visita à ex-primeira-dama do estado, afirmou que possui “grande apreço por Renata”. “A dor une muito as pessoas. Eu presenciei em São Paulo o acidente de Eduardo. É uma visita de carinho, de amizade”, afirmou.

O governador chegou à residência de Renata Campos no início da tarde. Na saída, disse que o encontro foi “muito afetivo e carinhoso”. “Conheci o Miguel (filho caçula de Renata) quando nasceu e já está um meninão”. Ele ainda elogiou a comida oferecida pela anfitriã. “Foi muito bom. Comi um bolo de rolo maravilhoso. O bom é daquele bem fininho”, comentou.

Perguntado sobre a aliança com o PSB, e se limitou a dizer que tratará do assunto “mais para frente”. “Tomei também um café com o prefeito Geraldo Julio. Tenho um grande carinho por ele, desde a época do Eduardo Campos”, resumiu o tucano, que seguiu para a casa de Jarbas Vasconcelos (PMDB), ao lado do deputado federal Bruno Araújo.

Com informações de Anderson Bandeira, da Folha de Pernambuco.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Please enter your name here