O candidato a governador de Pernambuco pela Frente das Oposições, Armando Monteiro Neto (PTB), subiu o tom contra seu adversário, o atual governador Paulo Câmara (PSB). No guia eleitoral do petebista, ontem (24), foi mostrado à população os escândalos recentes envolvendo a gestão de Paulo, que nos últimos três anos e oito meses foi alvo de grandes investigações com denúncias de corrupção, que atingiram diretamente o governador, lideranças do PSB e assessores diretos de Paulo no âmbito das operações Lava Jato e Torrentes.

O guia lembrou que o Palácio do Campo das Princesas “sempre teve gestores considerados sérios, lembrados pela honestidade e coragem”. Um desses exemplos é Miguel Arraes, que em 1964 deixou o local preso pelas tropas do Exército, no primeiro dia do golpe militar. “Sei que cumpri, até agora, o meu dever para com o povo pernambucano“, disse Arraes na ocasião, em trecho recuperado pelo programa eleitoral.

Nos tempos atuais, a propaganda eleitoral de Armando ressaltou que a realidade se mostrou bem diferente. No dia 9 de novembro de 2017 o Palácio foi cercado por agentes da Polícia Federal (PF), que entraram na sede do governo para prender assessores de Paulo, apreender computadores e buscar provas. A Operação ‘Torrentes’ investiga o desvio de recursos públicos que deveriam ter sido utilizados para ajudar as vítimas da enchente que aconteceu em maio de 2017, na Mata Sul.

A Operação Lava Jato também investigou Paulo e o PSB. Ex-diretor da JBS, o delator Ricardo Saud, afirmou ao Ministério Público que negociou pagamento de propina para a campanha de Paulo Câmara em 2014. O atual governador é investigado ainda em outro braço da Lava Jato, a Operação ‘Fair Play’, que apura irregularidades na construção da Arena de Pernambuco. Segundo os técnicos do Tribunal de Contas do Estado (TCE), o projeto foi superfaturado em R$ 80 milhões. O guia exibiu matérias de jornais, blogs e TVs que retratam os fatos.

Promessas

O programa ainda lembra as promessas feitas por Paulo, em 2014, que não foram cumpridas, e o descaso da atual gestão, com a escalada da violência, obras paradas por todo o Estado e o caos na área da saúde. “Tanta mentira levou Pernambuco a andar para trás. O problema não é o nosso Estado, é o governador”, afirmou Armando.

Fonte

Deixe uma resposta