Não é difícil entender como e porque Fernando Haddad aceitou a deprimente condição de “poste” do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Haddad é um sujeito fraco e extremamente limitado.

A sua atuação nas redes sociais demonstra isso com extrema clareza.

Não raramente o “poste” comete erros primários e com frequência faz postagens onde aflora preconceito.

Foi o que aconteceu nesta sexta-feira (16).

Para elogiar uma fala do ex-jogador Casagrande, o petista fez um trocadilho infame.

“Tem Casa Grande que vale a pena”.

Hipocrisia e racismo explícito, por fazer referência maledicente ao período da escravidão no Brasil.

A Casa Grande era o espaço onde ficavam os senhores brancos, considerada a principal estrutura de opressão na época da escravidão.

Para um cidadão que se diz professor, considerar “Casa Grande” como algo que vale a pena, é imperdoável e inaceitável.

A covardia aparece quando o “poste” percebe que não agradou. Como ele não sustenta o que diz, rapidamente apagou a postagem, mas o print é eterno.

Confira:

Gonçalo Mendes Neto. Jornalista

Fortaleça o jornalismo independente do Jornal da Cidade Online.

Faça agora a sua assinatura e tenha acesso a todo o conteúdo da Revista A Verdade

https://assinante.jornaldacidadeonline.com.br/apresentacao

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Please enter your name here