O Hospital da Universidade Federal do Vale do São Francisco (HU-Univasf) foi uma das unidades da rede da Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (EBSERH) a serem selecionadas para adotar o Projeto de Expansão do Modelo de Regulação Assistencial. O modelo visa a melhorar a qualidade na assistência e na gestão dos recursos e o acesso da população aos serviços oferecidos pelos hospitais universitários.

O Consórcio Hospitalar da Catalunha (CHC), localizado na Espanha, fechou uma parceria com a EBSERH para o desenvolvimento e implantação de metodologia, rotinas e ferramentas para o diagnóstico da oferta, perfil de utilização dos serviços hospitalares e dos dispositivos existentes de gerenciamento da disponibilidade dos atendimentos (consultas, exames, cirurgias e internamentos) e das listas de espera.

Os consultores espanhóis visitaram três hospitais, das Universidades Federais de Santa Maria (UFSM-RS), do Rio Grande do Norte (UFRN) e do Maranhão (UFMA) para ajudar a desenvolver e aperfeiçoar processos e mecanismos de regulação. Representantes desses hospitais também foram até a Catalunha conhecer as unidades de saúde e as soluções implementadas por elas e agora têm a responsabilidade de replicar os conhecimentos e métodos aos hospitais da rede.

Durante três dias, representantes do Hospital Universitário de Santa Maria (HUSM), no Rio Grande do Sul, estiveram no HU-Univasf para iniciar as discussões e planejamento do projeto que executará mudanças na “porta de entrada” do hospital a partir do ano que vem. Foram desenvolvidas palestras e oficinas que refletiram sobre: os desafios da regulação na rede de atenção à saúde, os problemas gerados pela existência de uma demanda maior que as oferta e o papel do Núcleo Interno de Regulação (NIR) dentro das unidades hospitalares.

Mudanças

A chefe da Divisão de Gestão do Cuidado do HU-Univasf, Juliana Korinfsky, explicou que este é um momento de sensibilização dos profissionais sobre a importância das mudanças que precisam ser feitas nos fluxos de entrada de pacientes para que o HU atenda, de fato, os casos de média e alta complexidade, conforme a contratualização feita junto à Rede PEBA.

“O foco do projeto é acesso, equidade, resolutividade e garantia assistencial com humanidade e qualidade. Estamos diante de um grande desafio que é garantir a oferta de serviços, isso afeta instituições de todo o Brasil. Nós temos 120 leitos para quase 2 milhões de habitantes. Esperamos que através das discussões possamos inovar em alguns aspectos, aperfeiçoar o que já estamos em uso e que a partir daí possamos ter um pouco mais de resolutividade, capacidade de acessibilidade e melhorar a qualidade da assistência”, reforçou o chefe do Setor de Regulação e Avaliação em Saúde do HU-Univasf, Saulo Xavier. (Foto/divulgação)



Fonte

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Please enter your name here