Orca Kalia joga “isca” para pegar pássaro (Reprodução)

Apesar de ser denominada como baleia, a orca na verdade é um membro da família dos golfinhos. E é de conhecimento de todos que os golfinhos são considerados animais superinteligentes, assim como os elefantes.

No vídeo abaixo, feito no parque aquático Sea World, na cidade americana de San Diego, a orca batizada de Kalia realiza uma façanha só possível de acreditar por ter sido filmada por seus treinadores.

Na filmagem, feita num grande tanque do parque aquático, Kalia nada com mais duas orcas. Na borda do tanque algumas aves de duas diferentes espécies são o alvo da predadora. Incrivelmente ela solta algo da boca e atrai a atenção dos pássaros. Na verdade, é uma isca.

Após soltar a isca, Kalia fica à espreita para dar o bote na primeira ave que se arriscar a pegar o alimento. Não deu outra: assim que um pássaro cinzento pega a isca a orca a abocanha rapidamente e vai degustar o “almoço” sendo acompanhada das outras orcas.

A orca

As orcas são encontradas em todos os mares do planeta (Reprodução)

A Orca (Orcinus orca) é o membro da família dos golfinhos de maior porte e é um superpredador versátil, que inclui na sua dieta presas como peixes, moluscos, aves, tartarugas, focas, tubarões e animais de tamanho maior quando caçam em grupo, como por exemplo baleias.

Apesar de “baleia-assassina” ser uma designação incorreta, por ser uma tradução direta do inglês “killer whale”, e pelo fato de o animal não ser uma baleia, ela é comumente usada. É o segundo mamífero de maior área de distribuição geográfica – logo a seguir ao homem – é encontrada em todos os oceanos e pode chegar a pesar nove toneladas.

Têm uma vida social complexa, baseada na formação e manutenção de grupos familiares extensos. Comunicam-se através de sons e costumam viajar em formações que assomam ocasionalmente à superfície. A primeira descrição da espécie foi feita por Plínio, o Velho o qual já a descrevia como um monstro marítimo feroz.

O nome orca foi dado a estes animais pelos antigos romanos do nome “Orcus”, que significa inferno ou deus da morte, e o nome do seu género biológico – “Orcinus” – significa “do reino da morte”. A partir da década de 60, quando ganharam popularidade entre os espectadores de oceanários, o termo neutro “orca” foi mais utilizado do que “baleia assassina”, o qual conota um comportamento incompatível com objetivo desses parques.

Estes animais caracterizam-se por terem o dorso negro e a zona ventral branca. Têm ainda manchas brancas na parte lateral posterior do corpo, bem como acima e detrás dos olhos. Com um corpo pesado e entroncado, têm a maior barbatana dorsal do Reino animal, que pode medir até 1,8 metros de altura (maior e mais ereta nos machos que nas fêmeas).

Os machos podem medir de 9,8 até 10 metros de comprimento e pesar até 10 toneladas. As fêmeas são menores, chegando aos 8,5 metros e pesam entre 6 e 8 toneladas, respectivamente. As crias nascem com cerca de 180 kg e medem cerca de 2,4 metros de comprimento.

As orcas macho de maiores dimensões têm um aspecto distinto que não dá margem para confusões ao serem identificados. Contudo, vistas à distância em águas temperadas, as fêmeas e as crias podem confundir-se com outras espécies, como a falsa-orca ou o golfinho-de-risso.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Please enter your name here