Pirrita Silva nasceu no Hospital Dom Malan, em Petrolina há 20 anos. Mas, segundo ela, foi um erro.

A jovem se parece com uma humana, anda como uma humana, mas, segundo ela, é uma gata.

A petrolinense fez essa revelação ao blog Fala Petrolina. Pirrita comentou que, como a maioria dos gatos, odeia água e pode se comunicar apenas com “miaus”.

Diante da ausência de orelhas de felino, a jovem usa orelhas de pelúcia presas na cabeça com um arco. E luvas rosa que imitam patas.

“Percebi que era uma gata quando tinha 16 anos, quando sentia uma vontade incontrolável de fazer cocô e enterrar. Foi quando médicos e psicólogos descobriram que havia algo diferente comigo”, comentou.

Hoje sabemos que sou uma Transfelina, um felino em um corpo humano, distúrbio cada dia mais comum em todo o mundo.

Eu andava de quatro pela casa, fazia cocô na areia, e enterrava. Sempre achei muito natural.

Pirrita disse, ainda, que graças à sua “audição supersensível”, ela consegue ouvir coisas que os humanos não podem. Se encontra um cão na rua, ela imediatamente faz aquele som típico de gatos ao mostrarem os dentes em situação de perigo. A jovem também gosta de dormir em lugares apertados e anda de quatro.

“Acho que serei uma gata toda a minha vida”, declarou Pirrita, que acredita que um dia haverá uma cirurgia que a torne uma felina completa.

 

9 COMENTÁRIOS

  1. São os destrutivos efeitos da ideologia de gênero começando a produzir as mais inesperadas bizarrices. A pior geracao de seres humanos que já pisou nesta terra está aí diante dos nossos olhos. Coisas piores virao.

  2. “Hoje sabemos que sou uma Transfelina, um felino em um corpo humano, distúrbio cada dia mais comum em todo o mundo” kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk,gente,isso nem existe

Deixe uma resposta