Jungmann tentou punir o general Mourão, mas não conseguiu

Carlos Newton

Embora muitos cientistas políticos desconheçam esta realidade, a Maçonaria continua a ser uma das instituições mais influentes do país. Sua presença no território nacional só é comparável à dos Correios e Telégrafos. Assim como a ECT, a Maçonaria está atuante em quase todos os 5.570 municípios brasileiros, à exceção dos menos habitados, onde até os Correios não têm sucursais e atuam por intermédio das próprias prefeituras. Por isso, as Forças Armadas não desprezam a importância da Maçonaria e sua penetração no território nacional, circunstância que explica a escolha da sede do Grande Oriente para a transmissão do recado do Alto-Comando do Exército, através do general Hamilton Mourão.

O SITE “Tribuna da Internet” JÁ REVELOU recentemente

atuação em conjunto da Maçonaria e das Forças Armadas para evitar a concretização da independência política, econômica e social das chamadas nações indígenas, em cumprimento de tratados internacionais assinados pelo governo Lula nas Nações Unidas e na Organização Internacional do Trabalho. O resultado seria o desmembramento de cerca de 20% do território nacional. Devido à ação das Forças Armadas e da Maçonaria, os tratados jamais foram enviados para ratificação do Legislativo, estão engavetados, é como se não existissem mais.

MOURÃO É MAÇOM – O que até agora não foi revelado sobre a surpreendente palestra do general Hamilton Mourão, da ativa e com quatro estrelas, é que o chefe militar é maçom, filiado a uma das duas grandes correntes da Maçonaria – a ala Grandes Lojas. Curiosamente, seu pronunciamento foi feito na sede do Grande Oriente, maior e mais tradicional facção da Maçonaria brasileira e que congrega mais de 2 mil lojas afiliadas.

Por ser maçom, o general Mourão poderia ter se apresentado de terno preto ou usando o chamado balandrau – uma espécie de toga negra, semelhante à dos ministros do Supremo Tribunal Federal. No entanto, ele usou o uniforme de gala do Exército, ostentando todas as suas condecorações, para dar ao ato a formalidade  de apresentação oficial de um membro do Alto-Comando do Exército.

O vídeo da palestra foi divulgado quase em tempo real. Logo depois, houve um coquetel na sede do Grande Oriente e o assunto principal foi imediata repercussão na internet.

OPERAÇÃO ABAFA – Em tradução simultânea, o fato concreto é que general deu um recado importantíssimo, em nome do Alto-Comando. Justamente por isso, não foi nem será punido.  Tampouco haverá intervenção militar. O que as Forças Armadas querem deixar bem claro é que não será tolerada a “Operação Abafa”, que está em curso nos Três Poderes, com apoio de parte da mídia e de alguns integrantes do próprio Supremo Tribunal Federal, conforme o ministro Luís Roberto Barroso tem denunciado com insistência.

As armações da “Operação Abafa” aumentaram a insatisfação dos comandos das Forças Armadas, que o presidente Temer tentou acalmar retirando da reforma da Previdência a aposentadoria militar e elevando os salários das três Armas. Acostumado a comprar parlamentares por 30 dinheiros, Temer julgou que poderia manter sob controle os militares, mas se enganou de forma absoluta.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Please enter your name here