Irresponsável, o ator José de Abreu fez uma publicação em sua conta no Twitter, em que afirmava que o ataque sofrido pelo então candidato à presidência da república, Jair Bolsonaro, em Juiz de Fora, em setembro de 2018, teria sido arquitetado pelo serviço de inteligência de Israel com o apoio do hospital Albert Eisntein.

“Teremos um governo repressor, cuja eleição foi decidida numa facada elaborada pelo Mossad [serviço secreto de Israel], com apoio do Hospital Albert Einstein, comprovada pela vinda do PM [primeiro-ministro] israelense, o fascista matador e corruptor Bibi [Benjamin Netanyahu]”, escreveu o ator.

Ao perceber a ‘besteira’, o ator apagou a postagem, mas a Sociedade Beneficente Israelita Brasileira Hospital Albert Einstein, por meio de seus advogados, entrou com o pedido de indenização por danos morais.

A 3ª Câmara de Direito Privado do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP) manteve a decisão da 1ª instância. José de Abreu terá que indenizar o Hospital Albert Einstein por publicar “fake news” (notícia falsa) em rede social, conforme decisão publicada neste sábado (4).

O valor da indenização ficou estipulado em R$ 20 mil reais.

Deixe uma resposta