Um vídeo feito em algum pântano da Flórida, nos EUA, tem impressionado as pessoas que o visualizaram. Parte deste público também ficou chocado. Por isso avisamos aos leitores mais sensíveis que as imagens abaixo são fortes.

No vídeo, um aligátor americano é visto nadando sorrateiramente próximo a margem de um rio ou lago. Perto dele, uma pequena tartaruga boia na água, sem perceber o perigo mortal logo ali ao lado. De repente, o jacaré avança em direção à tartaruga e a abocanha.

Como a tartaruga possui a carapaça dura (casco), que lhe dar determinada proteção contra outros animais, o leitor pode imaginar que o aligátor não conseguirá devorar o pobre animal. Ledo engano. Eles possuem uma das mordidas mais fortes dentre os animais, com pressão de 540 kg por centímetro quadrado.

Confira a incrível força que o jacaré possui na mandíbula e seus afiados e fortes dentes, que estraçalham o pobre animal.

O Aligátor Americano

O jacaré-norte-americano (Alligator mississippiensis), por vezes também chamado jacaré-americano ou aligátor-americano é uma espécie de jacaré encontrada apenas na região sudeste dos EUA, junto a riachos e pântanos. São a única espécie de jacaré (também ditos caimões ou aligátores) existente nos Estados Unidos.

Dividem em grande parte seu habitat com o crocodilo-americano. Quando adultos, os jacarés-norte-americanos medem de 2,3 metros a 3 metros, e pesam mais de 400 kg (no caso dos machos). Há nos Estados Unidos lendas urbanas, bastante exageradas, de histórias de jacarés que seriam encontrados nos esgotos das grandes cidades americanas. Podem, porém até virem a ser domesticados e, de fato, há pessoas que tentam criá-los em apartamentos.

Quando jovens, os jacarés-americanos alimentam-se de insetos e pequenos crustáceos. Adultos, procuram rãs, cobras, tartarugas, peixes e animais mortos. Também podem se alimentar de animais grandes: ocasionalmente, por exemplo, puxam um veado para dentro d’água, afogam-no e depois o comem. Um jacaré fica muito briguento na época do acasalamento, torna-se muito inquieto e berra para atrair a fêmea. Esta faz o seu ninho com lodo e matéria vegetal, e nele deposita os ovos. Toma conta deles até que os filhotes saiam.

O jacaré-americano, diferente do crocodilo-americano, possui focinho curto. Cerca de 1 milhão de jacarés-americanos vivem no estado da Flórida, mas nem sempre foi assim. Entre o ano de 1950 e 1970 metade da população de jacarés foi exterminada (muitos jacarés foram mortos para a confecção de bolsas com o seu couro), o que fez com que entrasse na lista de animais ameaçados de extinção.

Visando parar a matança, os Estados Unidos criaram leis que a proibiram, de modo que a população de jacarés foi se estabilizando no ambiente selvagem. Além disso, muitos biólogos se dedicaram a programas de conservação e muitos jacarés que viviam em cativeiro foram soltos na natureza. Isso tudo fez com que a população desses animais crescesse, chegando a 3 milhões.

Nos jacarés-norte-americanos os machos pesam cerca de 430 kg, já as fêmeas pesam apenas cerca de 290 kg. Os jacarés-americanos, quando adultos, medem entre 2,3 metros e 3,0 metros, mas já houve casos de jacarés-americanos que atingiram cerca de 5 metros. Eles possuem uma das mordidas mais fortes dentre os animais, com pressão de 540 kg por centímetro quadrado.

Mesmo sendo um animal não ameaçado de extinção, as pessoas estão voltando a caçá-los pois acham que os jacarés-norte-americanos são uma ameaça e tem medo deles. A verdade é que os jacarés-americanos só atacam quando se sentem ameaçados ou quando estão com muita fome. A continuar a caça predatório poderiam voltar para a lista de animais em extinção, o que seria péssimo para o ecossistema dos Estados Unidos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Please enter your name here