Sileno Guedes/Presidente Estadual do PSB-PE. (Foto: Arquivo Blog)

Parece que o Partido Socialista Brasileiro não é mais tão pragmático como foi. E a prepotência mostrada nos últimos anos começa a arrefecer, principalmente  em Pernambuco onde  “o reinado” teima em não se misturar e o meno do partido diminuir começa a se revelar.

Foi o que ficou claro na nota assinada pelo presidente da legenda, Sileno Guedes, tentando proteger o deputado federal Felipe Carreras, ameaçado de expulsão pelo seu posicionamento na votação da reforma da previdência. Sileno defende que o peso da punição não seja o mesmo para os iguais.

O PSB se posicionou de forma muita clara e objetiva com relação à Reforma da Previdência. Infelizmente, um terço dos nossos deputados federais não acompanhou a decisão do partido e se posicionou a favor. Lamentável e inaceitável. 

Caberá à Comissão de Ética do partido apontar qual punição deverá recair sobre eles. Particularmente, acho que não poderá passar em branco, mas defendo que a penalidade não seja a mesma para todos. Deve-se levar em conta a história de cada um. 

Em Pernambuco, por exemplo, o deputado Felipe Carreras, apesar da sua decisão, tem uma trajetória de muitos anos no PSB e isso não se pode negar. É sua única filiação partidária. 

Felipe foi secretário nacional da Juventude Socialista Brasileira e ainda pode contribuir muito com o partido no futuro. Defendo que haja atenuantes levando-se em conta a história e a renovação de compromissos de cada um.

Sileno Guedes

Presidente Estadual do PSB

Fonte: Blog do Carlos Britto

Deixe uma resposta