Foto: Blog do Carlos Britto

Deficientes físicos ou pessoas com mobilidade reduzida enfrentam, todos os dias, desafios de locomoção e dependem de ajuda, seja em espaços públicos ou privados de Petrolina.  A cidade avançou bastante no desenvolvimento de políticas de acessibilidade, contudo, segundo o cadeirante João Batista, a melhora ainda “não é a ideal”.

Ele se queixa de que os entes municipal, estadual e federal não possuem um projeto sólido e claro que pense nas dificuldades da pessoa com deficiência e afirma que as atuais iniciativas de inclusão social são “ações isoladas”. “Infelizmente não abrangente todas das pessoas. Não vemos nenhum incentivo para fortalecer a gente”, lamenta.

Para Batista, a celebração do Dia Nacional da Luta da Pessoa com Deficiência – em 21 de setembro – é um marco importante, mas que tem de ser sucedido por ações continuadas desprendidas de uma data. E relata ainda que muitas vezes os deficientes físicos são tratados como “menos importantes”.

A insensibilidade não é só do poder público, o próprio comerciante não dá oportunidade para entrarmos na sua loja. Eles acham que a gente não tem poder de compra, mas estão errados”.

Chamado ao engajamento

Essa situação tem incomodado o cadeirante, que vê na assembleia para a constituição de uma nova administração da Associação da Pessoa com Deficiência de Petrolina, no próximo dia 15/12, uma oportunidade para a categoria conseguir representatividade no município.

Nosso objetivo é correr atrás de nossos direitos diante não só do poder público, mas também das pessoas e dos empresários”. E continua. “Não é porque somos deficientes que não temos dinheiro. E também temos nossas escolhas, uma roupa, calçado, um aparelho celular. Nós não queremos estar sempre à espera de alguém para escolher e comprar uma peça de roupa”, disse João Batista, que convida pessoas com deficiência ou não a participarem da assembleia.

Endereço

O evento ocorre às 19h do dia 15 de dezembro, no Centro Social Urbano (CSU), que fica Na Avenida Honorato Viana, no bairro Jardim Maravilha, zona oeste do município. A assembleia é aberta à sociedade.

Fonte: Blog do Carlos Britto

Deixe uma resposta