O duelo democrático que se aproxima apesar das pesquisas mostrarem empate técnico com os principais candidatos, a um ponto polarizado no tabuleiro da disputa. Para especialistas, a debandada da saída pela disputa ao governo pernambucano por Marília Arraes (PT), caso fique de fora, os seus seguidores poderão migrar para outra base o que contrariaria ao advento da estratégia de Humberto Costa (PT) que pretende cravar a reeleição o que atropelaria a candidata que ele mesmo outrora teria criado, entretanto, com a evolução de Marília, Humberto perde o entusiasmo de ser o maioria do PT-PE. Nesse cenário, analistas ligado ao senador, corre o risco eminente de errar e afundar o partido no estado.

No passado, alguns petistas atropelaram  João da Costa, na época candidato natural da prefeitura do Recife e agora Marília Arraes deve ser a próxima vítima, apesar de ter um legado diferenciado o povo.

Com esse cenário, em que Humberto defende aliança com o PSB, naturalmente faz campanha a favor do senador e pré-candidato ao governo pernambuccano, Armando Monteiro (PTB) que pontua favoravelmente nas pesquisas.

O público de Marília, é um público fiel ao ex-presidente Lula e Dilma e não migraram para apoiar Paulo Câmara, pois no passado Paulo, capitaneou no PSB nacional, o que é uma vitrola repetida na língua de Humberto Costa, um golpe contra a ex-presidente Dilma. Nesse sentido, o tiro poderá sair pela culatra, pois o eleitor, tem memoria de elefante e poderá dar o troco.

O senador foi eleito nas sombras de Eduardo e agora pretende repetir no palanque de Paulo, mas poderá herdar veemente a revolta do eleitor.

Os Armandista poderá levar a melhor em todo esse xadrez. Humberto, que protagoniza a unidade PT-PSB, mas que levará o partido a nada. Caso Marília fique fora da disputa e neutralize ou vá apoiar candidatos nanicos, os eleitores migraram naturalmente para Armando Monteiro. Quem tem Humberto como adversário, tem Humberto marqueteiro natural para ascendência da sua oposição naturalmente.

BFC

Deixe uma resposta