A África é considerada o berço da humanidade. Várias teses mostram indícios de que o gênero homo tenha surgido no continente africano há mais de dois milhões de anos. O continente também é conhecido como o lugar do safári, dos leões, tigres, girafas enormes e uma cultura muito bonita.

Ele é o segundo continente mais populoso do planeta, somando mais de 1 bilhão de pessoas. E o terceiro maior continente do mundo. Se você parar para pensar, sua extensão chega a cobrir 20% das terras do planeta.

E esse terceiro maior recanto de belezas e segredos tem muita coisa para mostrar que as pessoas nem sonham em conhecer. Mas não só belezas e mistérios a África tem para mostrar. O continente é um dos poucos lugares que concentram um ambiente natural tão rico. Não é à toa que o muitos países do continente atraem milhares de turistas todos os anos. Ele vem interessados nos maravilhosos safáris. No entanto, é sempre preciso tomar muito cuidado, já que não é muito difícil dar de cara com animais extremamente perigosos durante excursões do tipo.

Embora sofra com tantas desigualdade e problemas sociais crônicos, a África ainda assim representa um continente rico em fauna e flora. Sua biodiversidade é realmente exuberante, resguardando os mais incríveis animais que compõem a vida selvagem de nosso mundo. Alguns deles não podem ser encontrados em nenhum outro lugar, a não ser por lá. Mas, infelizmente, muitos ainda sofrem com a caça furtiva e já estão ameaçados de extinção.

Por mais que em tempos modernos, a caça já seja um “hobby” visto com maus olhos, existem pessoas que não abandonam seus antigos hábitos. E não só isso, há quem também quem se orgulhe deles.

Caça

Esse é o caso de Rob Thomson, que diz que sem o seu trabalho a espécie de elefantes estaria fora de controle. E ele não se limita aos elefantes. E segundo um relatório da organização Campanha para Proibir Trophy Hunting, apenas um caçador do continente africano matou pelo menos cinco mil elefantes na região.

O número já é de impressionar. Mas o mais impressionante ainda é que Ron Thomson confirmou ao The Independent que ele não sentia nenhum remorso em ter matado todos os animais. Segundo Thomson, ele apenas fez o seu trabalho e que os “importantes especialistas ocidentais” negligenciaram os aspectos do que ele fez. Ele ainda disse que não matou os animais por ter uma sede de sangue. Foi porque sem o seu trabalho, essas espécies estariam fora de controle.

Visão

Na concepção do homem, o elefante africano está longe de ser extinto. Mas segundo a World Wildlife Federation (WWF), essa espécie entrou em colapso exatamente por causa da caça e de guerras.

“O troféu de caça indústria está matando elefantes esquerda, direita e centro”, disse Eduardo Gonçalves, fundador da Campanha pelo Banimento Troféu de Caça.

Esse caçador tem 80 anos e é pai de dois filhos. Ele passou a maior parte de sua vida como guarda florestal nos parques nacionais da África. E essa caça horrível feita por Thomson não é limitada aos elefantes. Ele também já matou 800 búfalos, 60 leões e 40 leopardos.

Fonte

Deixe uma resposta