Embora mais sintonizado com a bancada governista do que com a de oposição na Casa Plínio Amorim, o vereador Osinaldo Souza (PTB) fez sérias ressalvas ao processo de privatização da Companhia Hidroelétrica do São Francisco (Chesf). Na audiência pública promovida pelo Legislativo de Petrolina, que debateu o assunto na última quinta-feira (14), Osinaldo esperava que o ministro Fernando Filho (Minas e Energia) ou algum representante da Pasta pudesse ter participado para esclarecer melhor a questão.

O vereador deixou claro que se a argumentação do ministro de que a privatização é o melhor caminho, ele respaldará a venda da estatal. Mas deixou claro que não aceitará apenas “privatizar por privatizar”, entregando o patrimônio do povo brasileiro nas mãos de “lucradores baratos”.

O que vemos muito no Brasil é empresário esperto, igual aquele Joesley Batista e seu irmão Wesley Batista, que querem simplesmente, da noite para o dia, ganhar R$ 100 milhões numa transação financeira. Não vamos admitir que alguém pegue o setor elétrico do Brasil, se torne multibilionário e o povo saia perdendo nessa venda”, declarou.

“Cabras safados”

Osinaldo também não poupou certos parlamentares no Congresso, que põe a culpa da crise financeira na população. “Eles dizem que a culpa é do servidor público, do trabalhador rural, do deficiente, do idoso, porque estariam prejudicando o déficit, o que não é verdade. Não existe déficit”. O vereador completou justificando que, enquanto isso, dívidas de R$ 25 bilhões do Banco Itaú ou de R$ 200 bilhões dos empresários ruralistas e de outros banqueiros são perdoadas pela União. “Esses cabras safados querem simplesmente oprimir o povo brasileiro, mas o povo brasileiro não pode se dobrar a essa corja”.



Fonte

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Please enter your name here