Este Blog recebeu mais uma denúncia contra o Hospital Universitário (HU-Univasf) em Petrolina. Enquanto vários pacientes aguardam a vez por uma cirurgia na unidade médica, alguns leitos encontram-se desocupados no segundo e terceiro andares.

O fato gerou revolta, uma vez que os pacientes instalados pelo corredor do HU alegam que poderiam estar ocupando um desses leitos.

Procurada pela reportagem, a assessoria do hospital esclareceu o fato, refutando a denúncia de que o HU-Univasf mantém parte de seus leitos ociosos.

“A unidade possui 130 leitos, parte deles é destinada a pacientes que estão na lista de espera por cirurgias eletivas realizadas continuamente pelas diversas especialidades do hospital. Trata-se de leitos de alta rotatividade destinados a períodos curtos de internamento. A ocupação destes leitos por outras vias de internação inviabilizaria as cirurgias eletivas, diminuindo a capacidade de atendimento cirúrgico e consequentemente, prejudicariam os pacientes que aguardam pelos procedimentos eletivos”, explica a assessoria, por meio de nota.

“Ressaltamos ainda que, o Ministério da Saúde preconiza que os hospitais possuam, no máximo, 85% de seus leitos ocupados para que haja possibilidade de organização e recuperação de leitos e manutenção de segurança biológica dos pacientes com procedimentos de desinfecção e reparos, o que, infelizmente, devido à alta demanda ocorre a sobre-utilização dos leitos, como já reconhecido publicamente”, continua a nota.

“Os profissionais do HU-Univasf trabalham, diariamente, para mitigar os efeitos das deficiências da Rede Interestadual de Atenção à Saúde do Vale do Médio São Francisco (Rede PEBA) que acabam sobrecarregando o hospital. Hoje, a taxa de ocupação é 143%”, encerra a nota.

Fonte

Deixe uma resposta